Politica

Ventura demite-se e convoca eleições no Chega

"Não o fazemos por culpa nossa, mas porque as instituições assim o exijem", explicou o líder do Chega, partido que o Constitucional disse estar ilegal desde há um ano.


O presidente do Chega anunciou, esta sexta-feira, que se demite da liderança do partido para "provocar novas eleições diretas".

"Não o fazemos por culpa nossa, mas porque as instituições assim o exigem", afirmou André Ventura, reconhecendo que "este é um momento difícil", para o partido, mas que “é ultrapassável".

Andé Ventura lamentou que o Chega esteja “a ser alvo da maior perseguição política em Portugal” e deixou um apelo:  "Peço a todos que mantenham a calma, para sairmos do Congresso mais fortes e mais firmes para vencermos as eleições legislativas".

Sublinhe-se que o anúncio da demissão de Ventura surge depois de o Tribunal Constitucional ter dado razão ao Ministério Público e considerado que o Chega está ilegal há mais de um ano, desde o congresso do partido em Évora.