Internacional

Bolsonaro queixa-se de ter sido 'gozado' por televisão portuguesa

"Eu vi um deboche [troça] de uma televisão portuguesa em cima da gente”. Tudo por causa pela defesa do seu Governo de fármacos sem comprovação científica contra a covid-19.


O Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, queixou-se, esta quinta-feira, de ter sido alvo de troça em Portugal, pelo facto de o seu Governo defender o uso de fármacos sem comprovação científica contra a covid-19.

As declarações de Bolsonaro foram feitas durante o seu vídeo habitual para as redes sociais, no qual voltou a defender que a cloroquina, a hidroxicloroquina, a azitromicina e a nitazoxanida são eficazes como tratamento precoce" contra a covid-19.

"Eu vi um deboche [gozo] de uma televisão portuguesa em cima da gente. Não sei viram esse filme aí. O repórter falando que entrevistou o [Hamilton] Mourão [vice-presidente do Brasil]. Perguntaram o que é que o Mourão tomou [quando esteve infetado] e ele falou: 'tomei isso'", começou por contar Bolsonaro.

"Daí, a repórter brasileira pergunta: 'tomou isso? Mas não tem comprovação científica contra a covid-19!' e o Mourão respondeu: 'mas eu estou vivo'. Piada em Portugal. Piada!", criticou.

Recorde-se que o vice-Presidente tomou hidroxicloroquina, azitromicina e nitazoxanida depois de ter sido diagnosticado com a doença em dezembro passado.

O chefe do Estado do Brasil sublinhou ainda, na mesma transmissão de vídeo, que os que falam contra o "tratamento precoce" "tremem" e "falam fino" quando recebem um diagnóstico positivo da doença e passam a "tomar qualquer" coisa.