Economia

Empresas vão ter de definir metas climáticas antes da COP26

Cerca de 1.600 empresas de maior impacto no mundo são responsáveis por 11,9 gigatoneladas de emissões, o equivalente a mais do que o total anual dos Estados Unidos e da União Europeia.

Empresas vão ter de definir metas climáticas antes da COP26

Cerca de 1.600 empresas de maior impacto do mundo foram convocadas para definir metas de redução de emissões de CO2 antes da COP26, informou o CDP – Carbon Disclosure Project, em comunicado.

Um grupo de 220 instituições financeiras de 26 países "que detêm 29,3 biliões de dólares [cerca de 25 biliões de euros] em ativos estão a convocar as empresas de maior impacto do mundo a definir metas de redução de emissões com base científica, alinhadas com cenários de aquecimento global de 1,5 °C, antes da COP26", a conferência mundial das Nações Unidas sobre alterações climáticas, agendada para novembro.

De acordo com o CDP, o pedido visa também as portuguesas Cimpor – Cimentos de Portugal, Jerónimo Martins e a The Navigator Company. Entre as 1600 empresas intimadas estão também a Anhui Conch Cement, a maior fabricante de cimento da China, a Hyundai Motor Company, e ainda a companhia aérea Lufthansa.

O conjunto de empresas é responsável por 11,9 gigatoneladas de emissões, o que corresponde a mais do que o total anual dos Estados Unidos e da União Europeia, apontou o CDP.

O pedido tem em vista “pressionar” as empresas “a definir metas de redução de emissões por meio da iniciativa de Metas Baseadas em Ciência [SBTi – Science-Based Targets], para garantir que a ambição corporativa seja verificada de forma independente em relação ao padrão da indústria para metas climáticas robustas”, lê-se na nota.

 

Os comentários estão desactivados.