Economia

Empresas vão ter de definir metas climáticas antes da COP26

Cerca de 1.600 empresas de maior impacto no mundo são responsáveis por 11,9 gigatoneladas de emissões, o equivalente a mais do que o total anual dos Estados Unidos e da União Europeia.


Cerca de 1.600 empresas de maior impacto do mundo foram convocadas para definir metas de redução de emissões de CO2 antes da COP26, informou o CDP – Carbon Disclosure Project, em comunicado.

Um grupo de 220 instituições financeiras de 26 países "que detêm 29,3 biliões de dólares [cerca de 25 biliões de euros] em ativos estão a convocar as empresas de maior impacto do mundo a definir metas de redução de emissões com base científica, alinhadas com cenários de aquecimento global de 1,5 °C, antes da COP26", a conferência mundial das Nações Unidas sobre alterações climáticas, agendada para novembro.

De acordo com o CDP, o pedido visa também as portuguesas Cimpor – Cimentos de Portugal, Jerónimo Martins e a The Navigator Company. Entre as 1600 empresas intimadas estão também a Anhui Conch Cement, a maior fabricante de cimento da China, a Hyundai Motor Company, e ainda a companhia aérea Lufthansa.

O conjunto de empresas é responsável por 11,9 gigatoneladas de emissões, o que corresponde a mais do que o total anual dos Estados Unidos e da União Europeia, apontou o CDP.

O pedido tem em vista “pressionar” as empresas “a definir metas de redução de emissões por meio da iniciativa de Metas Baseadas em Ciência [SBTi – Science-Based Targets], para garantir que a ambição corporativa seja verificada de forma independente em relação ao padrão da indústria para metas climáticas robustas”, lê-se na nota.