Politica

Marcelo agradece à Marinha contributo no combate à pandemia

Cerimónia contou com presença do Chefe do Estado-Maior da Armada, o almirante Mendes Calado, que se viu recentemente envolvido numa polémica acerca da sua exoneração.


O Presidente da República agradeceu, esta segunda-feira, à Marinha o seu contributo no combate à pandemia, salientando a “competência”, o “brio” e o “sentido de serviço”, "verdadeiramente notáveis".

Marcelo Rebelo de Sousa, na sua qualidade de Comandante Supremo das Forças Armadas, presidiu às comemorações do dia da unidade da Escola de Tecnologias Navais da Armada (ETNA), na Base Naval de Lisboa, situada em Almada.

O chefe de Estado proferiu um curto discurso, citado pela agência Lusa, no qual sublinhou a importância da escola e enumerou alguns dos cursos ali lecionados, mas fez ainda questão de salientar o trabalho desenvolvido no combate à pandemia.

"É recordar neste exigente ano e meio de pandemia, o acolhimento como estrutura de apoio de retaguarda com 72 pacientes positivos. E como centro de acolhimento da Marinha com 228 pacientes positivos assintomáticos, dos quais 145 não nacionais, e neles vários vindos das estufas de Odemira", afirmou.

Marcelo destacou também as "duas equipas de rastreio epidemiológico e de inquéritos epidemiológicos, a integração da 'task force' de vacinação, o apoio ao centro de vacinação de Lisboa e Hospital das Forças Armadas", bem como "os núcleos de desinfeção, suportando diversas entidades civis".

Para o Presidente, todas as missões da Marinha têm sido feitas com “coragem, determinação, valentia, disciplina, verticalidade, brio, competência, solidariedade e sentido de serviço sempre, mas sempre, verdadeiramente notáveis - durante 17 anos mais todos aqueles que os antecederam e prepararam".

Marcelo agradeceu assim aos "marinheiros de Portugal, civis, Polícia Marítima" e a todos os já formados na Escola de Tecnologias Navais ou em formação, "esse passado, esse presente e esse futuro em nome de Portugal, que o mesmo é dizer em nome de todos os portugueses".

Na cerimónia estiveram presentes o secretário de Estado Adjunto e da Defesa Nacional, Jorge Seguro Sanches, e o Chefe do Estado-Maior da Armada, o almirante Mendes Calado, que se viu recentemente envolvido numa polémica acerca da sua exoneração.