Economia

Reino Unido quer abastecimento da eletricidade livre de combustíveis fósseis até 2035

Boris Johnson defendeu que a transição total para as energias renováveis ajudaria o Reino Unido a descarbonizar-se, ao mesmo tempo que amenizaria o impacto de eventuais flutuações do preço do gás natural.


O Reino Unido planeia eliminar os combustíveis fósseis do abastecimento de eletricidade no seu território até 2035, anunciou o primeiro-ministro britânico, esta segunda-feira.

Durante uma conferência do Partido Conservador, Boris Johnson defendeu que a transição total para as energias renováveis ajudaria o Reino Unido a descarbonizar-se, ao mesmo tempo que amenizaria o impacto de eventuais flutuações do preço do gás natural, como as que se têm verificado nos últimos meses.

"Olhando para o progresso que estamos a conseguir com a energia eólica, tendo em conta que somos líderes mundiais em energia eólica offshore, e analisando o que podemos fazer com outras fontes renováveis e potencialmente com o armazenamento de hidrogénio, acredito que podemos produzir eletricidade totalmente a partir de fontes de energia limpa até 2035”, afirmou.

Em 2020, o Reino Unido gerou 43% da sua eletricidade a partir de fontes renováveis, mas a energia a gás ainda representa uma fatia significativa.

Boris Johnson salientou ainda que a eliminação do gás na produção de eletricidade ajudaria a proteger o Reino Unido contra aumentos de preços futuros, numa altura em que a Europa teme uma crise energética na aproximação do inverno, em consequência dos consecutivos aumentos nos preços do gás natural, fonte esta da qual os países europeus dependem para a eletricidade e para o aquecimento. 

“Iremos depender apenas da nossa própria produção de energia limpa, o que nos ajudará também a manter os custos baixos”, reiterou.