Sociedade

Terceira dose da vacina contra a covid-19 vai começar pelos mais velhos

Dose de reforço deverá ser administrada a partir de 11 de outubro.


A terceira dose da vacina da covid-19 vai ser dada em Portugal começando pelos grupos de maior risco, por ordem decrescente de idades, e avançado para já para pessoas com mais de 65 anos com prioridade para os mais velhos. Até então, aguarda-se a orientação da Direção-Geral da Saúde (DGS) sobre esta matéria, que o secretário de Estado Adjunto e da Saúde disse estar por horas, mas ao que o i apurou deverá ser seguido o parecer da comissão técnica de vacinação, que já tinha sido entregue pelos peritos há algumas semanas e tinha ficado pendente da decisão da Agência Europeia do Medicamento (EMA na sigla em inglês).

"Iniciaremos pelas faixas mais vulneráveis, nomeadamente pelas estruturas residenciais para idosos, pela faixa acima dos 80 anos e depois iremos de uma forma decrescente até à faixa igual ou superior aos 65 anos, como foi feito quando foi a primeira fase de vacinação covid", disse aos jornalistas António Lacerda Sales, acrescentando que esta dose de reforço deverá ser administrada a partir de 11 de outubro.

Esta segunda-feira a EMA acabou por emitir um parecer relativamente vago, autorizando uma dose extra para pessoas imunossuprimidas - o que já tinha sido decidido em Portugal -  e que possam ser dadas “doses de reforço”, quer a quem fez a vacina da Pfizer quer a quem fez a vacina da Moderna e a partir dos 18 anos, ficando a decisão à consideração dos diferentes países, em função do que foram os seus planos de vacinação (note-se que Portugal já vacinou por ordem decrescente de idades), da atual cobertura e da situação epidemiológica. A decisão que acabou por ser mais ampla do que a tomada nos Estados Unidos, onde o regulador do medicamento - FDA - autorizou para já a primeira dose para pessoas com mais de 65 anos e, no caso de pessoas entre 18 e 64 anos, apenas para quem tem risco elevado de ter complicações graves de covid-19 ou indivíduos cuja institucionalização ou trabalho os coloque em maio risco de exposição ao Sars-Cov-2.

No domingo, na SIC, Marques Mendes indicou que a terceira dose da vacina da covid-19 seria administrada a partir dos 65 anos e já em outubro, decorrendo até ao Natal. Hoje, no entanto, o secretário de Estado Adjunto e da Saúde indicou que a vacinação será feita por ordem decrescente de idades e ao que o i apurou vão ser estabelecidas as prioridades. O parecer da EMA foi que a dose de reforço seja dada pelo menos seis meses após a última toma, o que facilita também o processo, já que os idosos com mais de 80 anos foram os primeiros a ser vacinados, nomeadamente nos lares.