Internacional

Nove mortes em protestos contra novas leis da agricultura na Índia

Agricultores afirmam que filho de ministro estava dentro de um carro que atropelou quatro manifestantes.


Pelo menos nove mortos é o balanço dos violentos protestos no estado indiano de Uttar Pradesh, onde centenas de manifestantes protestam contra as controversas leis da agricultura, que vigoram há um ano.

Apesar de existirem informações divergentes sobre  as causas das mortes, sabe-se que trata-se de quatro agricultores, três membros do Partido do Povo Indiano e um jornalista, que morreram junto à frota de veículos do ministro júnior da Administração Interna, Ajay Mishra, que se deslocou ao local.

Depois deste incidente, os agricultores indianos prometeram intensificar os seus protestos contra as leis aprovadas pelo Governo nacionalista hindu de Narendra Modi

“Vamos intensificar a agitação em Uttar Pradesh e em outras partes do país para destacar os pedidos dos agricultores inocentes”, disse o líder sénior da organização representativa de agricultores na Índia, União Bharatiya Kisan, Dharmendra Malik.

Estas leis desregulam a venda de produtos agrícolas, sujeitando um setor alicerçado em subsídios estatais às leis do mercado, em benefício das grandes empresas agropecuárias, algo que pode deixar os trabalhadores vulneráveis à competição com as grandes empresas e que eventualmente possam vir a perder a garantia de preços de produtos básicos.

“O Governo pode tentar desacreditar o nosso movimento que dura à quase 10 meses, mas vamos permanecer fieis à nossa batalha”, reforçou Malik.

 

Filho de ministro suspeito

Os agricultores presentes na cena do crime afirmam que o filho do ministro Mishra estava presente dentro de um dos veículos que, alegadamente, atropelou quatro manifestantes.

O ministro negou as acusações, afirmando que o filho, Ashish Mishra, nem esteve presente durante o acidente e argumentando que um dos seus condutores perdeu o controlo do veículo e acabou por atropelar os agricultores, depois destes terem lançado pedras e atacado o veículo com paus e uma espada.

O político afirmou aos meios de comunicação locais que os membros do Partido do Povo Indiano, partido que governa o país e em Uttar Pradesh, foram assassinados pelos próprios manifestantes.

O Governo local anunciou que ia oferecer 4,5 milhões de rupias (cerca de 52 mil euros) como compensação às famílias das vítimas dos protestos que ocorreram no domingo, e prometeu que este caso seria investigado por um juiz do reformado do Alto Tribunal.

“O Governo vai assegurar que este assunto vai ser investigado e os elementos antissociais vão ser revelados. Vamos assumir ações severas contra todos os envolvidos”, disse o ministro chefe de Uttar Pradesh, Yogi Adityanath, através de um tweet.

Desde novembro que dezenas de milhares de agricultores estão acampados junto à fronteira de Deli por forma a exigir que estas leis da agricultura sejam revogadas.