Economia

Insolvências mantêm-se em crescimento face a 2020 mas caíram em setembro

Dados da Iberinform mostram ainda que as constituições baixaram em setembro, mas mantêm crescimento de 8,6% face a 2020.


As insolvências registaram uma quebra de 12,1% no mês de setembro face a igual período de 2020, decrescendo de 612 para 538. Os dados da Iberinform, divulgados esta quarta-feira mostram, no entanto, que até ao final dos primeiros nove meses deste ano, o acumulado ascendia a 3717 ações de insolvência, mais 150 que em 2020, o que traduz um aumento de 4,2%.

Os dados mostram que no comparativo com 2020 e por tipologia de ações é de registar um aumento de 6,9% nas declarações de insolvência requeridas por terceiros que ascenderam a 729, mais 47 que em igual período de 2020.

Já as declarações de insolvência requeridas pelas próprias empresas caíram 7,9% face ao período homólogo (menos 66), ascendendo a um total de 767 ações.

Os encerramentos com plano de insolvência evoluíram de 35 em 2020 para 40 em 2021 (+14,3%). Nos nove primeiros meses de 2021 foi declarada a insolvência (encerramento de processos) de 2.181 empresas, mais 164 que no mesmo período do ano passado.

Os distritos do Porto e de Lisboa são os que apresentam valores mais elevados, com 946 e 854 insolvências respetivamente. Face a 2020, verifica-se um aumento de 17,6% em Lisboa e de 3,7% no Porto.

Por setores, o destaque para o aumento das insolvências vai para os setores da eletricidade, gás, água (+85,7%), indústria extrativa (+50%), hotelaria e restauração (+38,9%), agricultura, caça e pesca (+19,3%), construção e obras públicas (+12,8%).

Do lado contrário, três setores contrariam a tendência com uma diminuição no total de insolvências: transportes (-10,9%); indústria transformadora (-6,8%) e comércio a retalho (-5,1%).

Por outro lado, as constituições baixaram de 3720 em setembro de 2020 para 3286 no mês homólogo deste ano, menos 434 novas empresas no comparativo (-11,7%). No acumulado é alcançado um total de 30604 novas empresas, mais 2427 que em 2020 (+8,6%), mas significativamente menos que em 2019 (menos 7475 empresas, o que traduz um decréscimo de 19,6%).

Lisboa regista o número mais significativo com 9523 novas empresas (+9%), enquanto o distrito do Porto soma 5466 constituições (+8%).