Economia

Falso inspetor da ACT ligou a estabelecimentos e ameaçou-os com multas e inspeções em Setúbal

AHRESP recebeu vários relatos de um falso inspetor da ACT, que terá telefonado para vários estabelecimentos do distrito de Setúbal em hora de grande afluência durante o fim de semana, ameaçando com multas e visitas.


A Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) alertou na quarta-feira para uma ocorrência com um falso inspetor da Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT) que ameaçou vários estabelecimentos no distrito de Setúbal.

Numa publicação na página oficial da AHRESP no Facebook, o organismo conta que “recebeu vários relatos de um falso inspetor da ACT, que terá telefonado para vários estabelecimentos do distrito de Setúbal em hora de grande afluência durante o fim de semana”.

A pessoa que ao telefone se fazia passar por inspetor da ACT referia ter recebido “uma queixa sobre um determinado trabalhador, que estaria em situação ilegal”, lê-se na publicação.

Depois disso, o alegado inspetor ameaçava os estabelecimentos com multas e com uma visita para inspecionar o espaço em causa num curto espaço de tempo, cerca de 30 minutos, detalha a AHRESP.

Segundo a associação, isto “implicaria a saída de todos os clientes e consequente perda de faturação”.

Para que a suposta inspeção não ocorresse, o alegado inspetor propunha aos responsáveis dos estabelecimentos uma transferência bancária no valor de 600 euros.

A AHRESP teve conhecimento desta situação no distrito de Setúbal, mas também sabe de situações idênticas em Viseu. Por essa razão, aconselham os restantes estabelecimentos em todo o território para que, “em situações duvidosas e que impliquem o pagamento ou transferência de dinheiro, confirmem sempre com as entidades oficiais”.