Desporto

NBA. Kyrie Irving poderá ficar sem jogar por não querer ser vacinado

“Qualquer jogador que opte por não cumprir os mandatos locais de vacinação não será pago pelos jogos que perca”, afirma a NBA.


Com o aproximar do início da nova época da NBA, aumenta a controvérsia com alguns jogadores que rejeitam a vacinação.

De acordo com a Liga de Basquetebol dos EUA, 90 % dos jogadores estão vacinados contra a covid-19 e os restantes 10% “não podem comer na mesma sala que companheiros de equipa ou funcionários vacinados”, têm de ter armários “o mais longe possível dos jogadores já inoculados, uso obrigatório de máscara e manter distância social de pelo menos 1,8 metros com os outros participantes em qualquer reunião de grupo”.

Para além disso, a NBA também informou que “qualquer jogador que opte por não cumprir os mandatos locais de vacinação não será pago pelos jogos que perca”, disse Mike Bass, porta-voz da NBA. A polémica está instalada e promete dar ainda muito que falar.

Há quem diga que as vacinas contêm um microship com GPS para que os Governos consigam localizar as pessoas sempre que quiserem. Ou que são uma ideia mortífera para reduzir a população. Ou ainda que servem para fazer contactos com formas de vida extraterrestre. As teorias de conspirações são distintas e estão a ter impactos no pensamento de alguns atletas do mundo do basquetebol. E há ainda cerca de 10% dos jogadores não inoculados.

O objetivo da Liga, com estas medidas de discriminação dos jogadores não vacinados, será tentar convencer todos os que não quiseram levar a toma da vacina a fazê-lo. Mas há quem seja resistente, como Kyrie Irving, que pode vir a ser um problema para o seu clube, os Brooklyn Nets, que não tomou e insiste que não tomará a vacina contra a covid-19.

O craque estará a seguir e a ‘gostar’ de algumas publicações no Instagram de um teórico da conspiração que defende que “sociedades secretas” estão a inserir vacinas para conectar pessoas negras a um computador – fazendo tudo isto parte de “um plano de Satanás”.

O astro também já tinha demonstrado a sua simpatia pelas teorias que afirmam que a Terra é plana. Caso não mude de atitude, o jogador poderá ficar impossibilitado de participar em 44 jogos e poderá perder uma quantia considerável de dinheiro – já que ganha mais de 300 mil euros por cada jogo em que compete pela sua equipa. A sua atitude já gerou duras críticas.

“Não tem de haver lugar para jogadores que estejam dispostos a arriscar a vida dos seus companheiros de equipa e de todos os outros”, diz Kareem Abdul-Jabbar, uma referência para a comunidade da NBA, que alertou a Liga para não se desleixar com os que veem a vacinação como uma mentira.

As cidades de Nova Iorque e também de São Francisco oficializaram que os atletas devem ser vacinados contra o vírus para que possam jogar em espaços fechados, com a exceção de uma justificação, como por exemplo uma nota médica ou religiosa. Isto significa que os jogadores que competem pelo Brooklyn Nets, New York Knicks e Golden State Warriors devem ser vacinados caso queiram jogar em casa. 

A tia de Irving já veio a público falar sobre a polémica e saiu em defesa do seu sobrinho, acrescentando que não é um caso isolado. “Há tantos jogadores para além dele que não se querem vacinar que penso que vão acabar por encontrar uma forma de fazer valer a sua opção. O Kyrie fará o que tem de fazer. Não é uma questão religiosa, é uma questão moral”. 

O jogador tem histórico no que toca a incumprimento das regras da Liga. Na época passada, não compareceu no dia de imprensa, ficou fora em vários jogos por razões pessoais e passou por uma quarentena obrigatória depois de ter desrespeitado as regras da NBA para conter a covid-19 quando foi a uma festa que ele próprio organizou para a sua irmã.
O diretor do clube, Sean Marks, tinha dito que se sentia confiante de que todos os seus jogadores seriam vacinados.

Mas ao que parece nem todos estão na mesma linha de jogo no que toca à credibilidade da vacinação. Ainda assim, há quem acabe por mudar de ideias. LeBron James, dos Los Angeles Lakers, confirmou esta semana que já se encontra vacinado conta a covid-19. “Estava muito cético, mas fiz a minha pesquisa e achei que era a melhor decisão, não apenas para mim, mas para a minha família e para os meus amigos”, afirmou o jogador.

Premier League em Alerta Entretanto, ficou a saber-se que apenas um terço dos jogadores de futebol que participam na Liga Inglesa de Futebol estão totalmente vacinados contra a covid-19 – e sete das 20 equipas vacinaram por completo mais de 50% dos atletas. Mas, das 20, existem pelo menos três que não inocularam nem 10% dos seus jogadores.