Desporto

Benfiquistas regressam às urnas

Quase um ano depois de Luís Filipe Vieira ser nomeado para um sexto mandato, benfiquistas voltam a votar para a presidência do clube.


Este fim de semana, a mente dos benfiquistas vai estar focado apenas num resultado do seu clube. Um resultado que não vai ser disputado nos relvados, mas sim nas urnas. 

Quase um ano depois de Luís Filipe Vieira ter sido reeleito para um sexto mandato na presidência do clube da Luz, os adeptos do Benfica regressam às urnas para escolher o novo líder da sua equipa, tendo que optar entre o ex-capitão do glorioso, Rui Costa (lista A), e o empresário de 57 anos, Francisco Benitez (lista B).

Tem sido um ano tumultuoso para o Benfica, o seu ex-presidente, no comando do clube durante 18 anos, detido por estar implicado na operação judicial Cartão Vermelho e a apresentar a renúncia da presidência do clube.
Após abandonar o clube, Rui Costa, vice-presidente da direção de Luís Filipe Vieira, assumiu a presidência do Benfica, esperando agora, oficializar esta posição.

É a primeira vez que o ex-atleta concorre à liderança do Benfica, onde, sob o lema ‘Por Todos. Com Todos. Benfica’, promete formar plantéis competitivos no futebol, com orçamentos sustentáveis e um máximo de 25 atletas, além de tetos salariais nos primeiros contratos seniores e na massa salarial global do plantel.

As promessas estendem-se também ao futebol feminino, modalidade que poderá ser transferida para a futura Cidade Desportiva das modalidades, onde será construído um centro de alto rendimento, visando a conquista anual de 10 títulos, para lá da criação da Casa do Sócio na Luz e da expansão do centro de estágios do Seixal.
No entanto, Rui Costa terá que ultrapassar a condição de ‘príncipe herdeiro de Luís Filipe Vieira que causa alguma desconfiança entre os sócios do clube, começando pela forma como agendou eleições antecipadas, impossibilitando os seus adversários de preparem uma campanha com o devido tempo. 

Já Francisco Benitez, rosto de o movimento ‘Servir o Benfica’, pretende remodelar a composição do Conselho de Administração da SAD e da estrutura para o futebol, que passará a ter administradores, diretor desportivo, ‘team manager’, diretor de prospeção e responsável pela formação.

Em termos de modalidades, o empresário pretende integrar a secção de futebol feminino na SAD e deslocar a equipa para o Seixal, mudar o râguebi para o relvado secundário do estádio da Luz e criar novas equipas de futebol, voleibol de praia e de eSports, enquanto o local de fundação do clube será recuperado.