Internacional

Assassínio de deputado britânico considerado "incidente terrorista"

Investigação aponta para uma “potencial motivação ligada ao extremismo islâmico”.


O assassínio do deputado britânico David Amess, do Partido Conservador, está a ser tratado como um “incidente terrorista”. O político morreu na sexta-feira após ser esfaqueado “várias vezes” durante um encontro de eleitores.

Em comunicado, divulgado durante a madrugada deste sábado, a Polícia Metropolitana (Met) de Londres revelou que a investigação está a ser conduzida pelo Comando Contra o Terrorismo do MET, “em estreita colaboração com os colegas” da Unidade de Operações Especializadas da Região Leste (ERSOU, na sigla em inglês) e da Polícia de Essex.

“O coordenador nacional da unidade de contraterrorismo, o comissário Dean Haydon, declarou formalmente o incidente como terrorismo. A investigação inicial revelou uma potencial motivação ligada ao extremismo islâmico”, acrescenta a nota.

David Amess, deputado desde 1983, morreu na sexta-feira após ser esfaqueado durante um encontro com eleitores. A polícia de Essex, no sudeste de Inglaterra, revelou que foi chamada pouco depois das 12h05. "Encontrámos um homem ferido. Ele foi assistido pelos serviços de emergência, mas, infelizmente, morreu no local", indicou.

Um homem de 25 anos foi “rapidamente preso, pouco depois de os polícias terem chegado ao local, sob suspeita de homicídio, e uma faca foi recuperada”.