Internacional

"Eu só quero que ele esteja numa cela até ao final da vida", diz mãe de Gabby Petito sobre Brian Laundrie

Recorde-se que as autoridades disseram esta semana que a probabilidade de o rapaz estar vivo é igual à de eventualmente já ter perdido a vida. 

DR  


"Queremos vingança e justiça, e que ele pague pelos seus crimes", começou por dizer, numa entrevista ao programa australiano "60 Minutes", o padrasto de Petito, Jim Schmidt. A seu lado, Nichole Schmidt, mãe da rapariga de 22 anos, acrescentou: "Eu só quero que ele esteja numa cela até ao final da vida". 

No mesmo programa, o marechal norte-americano Lenny DePaul explicou que muitas coisas não fazem sentido neste caso. “Acho que os pais de Brian o ajudaram”, afirmou. “A Gabby morou com eles. Ela e o Brian ficaram noivos. Apareceu com a autocaravana e sem ela. O que disse aos pais? 'Ah, nós terminámos, deixei-a lá fora e decidi voltar?'", questionou.

Hoje é o 31.º dia desde que Laundrie, de 23 anos, foi dado como desaparecido pelos pais. A Polícia de North Port, no estado da Flórida, não relatou nenhuma nova pista, mas continua à procura daquele que é considerado "a única pessoa de interesse" no âmbito da investigação do homicídio de Petito com o FBI. As buscas estão a decorrer na Reserva Carlton, que tem uma dimensão de quase 10 mil hectares, local onde Laundrie teria caminhado sozinho antes de desaparecer.

Recorde-se que as autoridades disseram esta semana que a probabilidade de o rapaz estar vivo é igual à de eventualmente já ter perdido a vida.