Cultura

"Balada para Sophie" eleita como a melhor BD de autor português pelo AmadoraBD

Pela primeira vez, há um prémio monetário de cinco mil euros na categoria de melhor BD de autor português. 

 


Da autoria de Filipe Melo e Juan Cavia, a novela gráfica "Balada para Sophie”, venceu o prémio de melhor banda desenhada de autor português do festival AmadoraBD, anunciou esta segunda-feira o júri. 

Editada em 2020 pela Tinta-da-China e reeditada recentemente pela Companhia das Letras, a novela gráfica volta a juntar o argumentista português Filipe Melo e o desenhador argentino Juan Cavia. O ponto de partida é a rivalidade entre dois pianistas franceses, que nos anos 1930 competem num concurso de jovens talentos. Contudo, a história é contada na perspetiva de apenas um deles, de seu nome Julien Dubois, que, sabendo-se no fim de vida, procura redimir-se do passado numa longa entrevista com uma jornalista.

O festival anunciou ainda todos os vencedores dos prémios anuais de banda desenhada, “reformulados e reajustados a apenas cinco categorias”, e que reconhecem a produção de banda desenhada portuguesa e editada em Portugal.

Pela primeira vez, este ano, há inclusive um prémio monetário de cinco mil euros na categoria de melhor BD de autor português, tendo o júri decidido atribuí-lo a "Balada para Sophie".

O júri da 32.ª edição do AmadoraBD atribuiu ainda o prémio revelação a Ricardo Santo, pela obra "Planeta Psicose", editado pela Escorpião Azul.

O prémio de melhor fanzine ou publicação independente foi para Joana Afonso, com "Bestiário de Isa", em edição de autora.

No que toca ao prémio de edição, a vencedora foi a editora portuguesa A Seita, congratulada pela melhor edição portuguesa de banda desenhada com o livro "Procura-se Lucky Luke", de Mathieu Bonhomme.

O júri do AmadoraBD considerou ainda que a melhor obra estrangeira de BD publicada em Portugal nos últimos meses foi "Burlão nas Índias", de Alain Ayroles e Juanjo Guarnido, editada pela Ala dos Livros.

Este ano o festival (que é iniciativa da Câmara Municipal da Amadora) volta a ser presencial, tendo começado no dia 25 de outubro e terminando no dia 1 de Novembro. 

Este ano, o júri dos prémios integrou Pedro Cleto (em representação da autarquia), Carlos Moreno (Clube Português de Banda Desenhada) e Daniel Lima (Escola Ar.Co).