Cultura

J Balvin pede desculpas por videoclip considerado misógino e racista

O videoclip da música “Perra” foi retirado do YouTube por “representar mulheres negras como se fossem cães”. "Peço desculpa a todas as pessoas que ofendi. Até à minha mãe", lamentou o cantor. 


Lançado em setembro, o vídeo mostrava Balvin a passear com duas mulheres negras presas com uma coleira, enquanto outros atores negros eram “transformados” para parecerem cães. A rapper e modelo dominicana Tokischa, que participa da música, inclusive gravou uma cena onde se encontra em posição canina, dentro de uma casota.

"Quero pedir desculpas a quem se sentiu ofendido, especialmente à comunidade negra", disse Balvin no Instagram.

"Não sou assim. Volto-me sempre para a tolerância, o amor e inclusão”, continuou o artista, acrescentando que gosta de apoiar novos artistas, “neste caso Tokischa, uma mulher que apoia o seu povo, a sua comunidade e também empodera mulheres”.

J Balvin explicou ainda que não pretendia ofender ninguém e sim dar palco à rapper que colaborou consigo no tema.

Balvin, de 36 anos, é um dos maiores artistas da música latina, com vendas globais de mais de 35 milhões de discos. No Reino Unido, ele marcou dois dos 10 maiores sucessos - “Mi Gente” de 2017, que contou com a colaboração de Beyoncé, e sua parceria com Cardi B em 2018, na música “I Like It”.

“Perra” faz parte do sexto álbum de estúdio da estrela, uma obra de 24 faixas que mistura o seu reggaeton mais divertido com temas mais sérios ancorados em reflexões sobre a educação e os problemas mentais.