Sociedade

Funcionária da creche em Oeiras constituída arguida por alegados maus-tratos

Em causa está um vídeo que circulou nas redes sociais da arguida a agredir uma criança durante a refeição numa creche em Oeiras, Lisboa. 


A funcionária da Creche do Pombal, que pertence ao Centro Social e Paroquial de Oeiras (CSPO), que foi filmada a agredir uma criança durante uma refeição, foi constituída arguida por alegados maus-tratos. 

Segundo um comunicado da Polícia de Segurança Pública (PSP), divulgado esta segunda-feira, a força de segurança teve conhecimento do caso no domingo, devido ao vídeo que esteve a circular nas redes sociais, no qual se verifica a agressão por parte da funcionária, tendo sido efetuadas de imediato "diligências com a creche onde ocorreram os factos, bem como com os progenitores da criança, que, após inquirição, desejaram procedimento criminal contra a suspeita".

Ao ser localizada pela PSP, a funcionária foi constituída arguida e ficou sujeita a termo de identidade e residência, obrigando-a a comunicar às autoridades quaisquer mudanças de residência ou ausências por mais de cinco dias. Também terá de comparecer perante as autoridades sempre que for notificada pela força de segurança. 

"Todo o expediente foi remetido ao Ministério Público de Oeiras para continuação do respetivo inquérito", indica ainda a mesma nota. 

O vídeo tornou-se viral, após ter sido partilhado pela ativista e colunista do Nascer do SOL Francisca de Magalhães Barros, e a funcionária acabou por ser “suspensa por tempo indeterminado”. No vídeo, é possível ver uma mulher a empurrar e, aparentemente, a dar um estalo a uma criança durante uma refeição.

Num comunicado, divulgado no domingo, o Centro Social e Paroquial de Oeiras refere que tomou conhecimento do vídeo através das redes sociais e manifesta “tristeza e consternação, indignação e repúdio”.