Sociedade

Ex-autarca de Arroios constituída arguida após buscas da PJ

Em causa estão crimes económicos e financeiros, além do crime de peculato.


A ex-presidente da Junta de Freguesia de Arroios, em Lisboa, foi constituída arguida após as buscas da Polícia Judiciária (PJ) nas instalações da autarquia e na residência de Margarida Martins. Em causa estão crimes económicos e financeiros, além do crime de peculato.

Segundo avança a TVI, que cita o Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa, a PJ, através da Unidade Nacional de Combate à Corrupção, procedeu à execução de "dez mandados de busca, sendo três domiciliárias, e sete não domiciliárias, e realizou uma busca autorizada, visando a recolha de documentação relacionada com suspeitas de práticas criminosas, sob investigação".

"No inquérito investigam-se factos suscetíveis de integrarem a prática de crimes cometidos no exercício de funções públicas, na Junta de Freguesia de Arroios, nomeadamente peculato, peculato de uso e participação económica em negócio", acrescenta.

Margarida Martins foi presidente da Junta de Freguesia desde 2013 até ter perdido nas últimas eleições autárquicas, contra a coligação “Novos Tempos”, liderada por Madalena Natividade.