Sociedade

BPP diz que João Rendeiro lucrou 1,3 milhões com venda de oito quadros arrestados

Advogados do BPP dizem ter provas de que o ex-banqueiro vendeu oito das 124 obras arrestadas pela Justiça em 2010.

 

BPP diz que João Rendeiro lucrou 1,3 milhões com venda de oito quadros arrestados

Os advogados do Banco Privado Português (BPP) revelaram, esta sexta-feira, em tribunal, que têm que provas de que João Rendeiro vendeu oito das 124 obras de arte arrestadas pela justiça em novembro de 2010

As declarações surgiram durante a diligência destinada ouvir a mulher do ex-banqueiro, Maria de Jesus de Rendeiro, sobre o paradeiro das obras de arte. Contudo, a mulher acabou por não ser ouvida alegando não “ter condições psicológicas” para prestar declarações.

"Não estou em condições psicológicas, [...] peço muita desculpa", disse, citada pela TSF.

De acordo com os advogados, Rendeiro lucrou 1,3 milhões de euros com a venda das peças, entre 23 de outubro de 2020 e 1 de outubro de 2021. Havendo ainda uma em exposição em Bruxelas e quatro falsificações.

Recorde-se que quando foi arrestada pela Justiça, em novembro de 2010, para garantir o pagamento de indemnizações aos lesados do BPP, a coleção permaneceu na casa de João Rendeiro e a mulher do ex-banqueiro, Maria de Jesus, foi nomeada sua fiel depositária.

Após a fuga do ex-líder do BPP, o tribunal ordenou uma busca às obras, mas a Polícia Judiciária não encontrou 15 das 124 peças da coleção, havendo, pelo menos, duas obras que não correspondiam à descrição que constava do auto de apreensão, e outras que podem ser falsas.

Os comentários estão desactivados.