Opiniao

Armanda Passos - a força interior de uma grande mulher

Uma grande mulher de Família, exemplar na sua dádiva total, Armanda Passos, com todos os sacrifícios, sorrisos e um imenso carinho, procurou sempre que cada um conseguisse realizar-se melhor e fosse mais feliz.


Armanda Passos era uma artista notável, que, num acto de amor à Vida, nos deu, num belo hino de cor, a força que brotava das suas mulheres, telúricas, cheias de mistério, com alma, para, ao olhá-las, com afecto e ternura, e nos sentirmos mais humanos e mais disponíveis para o mundo que nos rodeia.

A força das suas mulheres, volumosas, coloridas, intensas, torna a sua pintura única e inconfundível. Os seus rostos, sem idade nem identidade, olham-nos, com uma gravidade e profundidade tal que nos sentimos acolhidos no seu seio maternal, de mãe universal, sendo simultaneamente questionados no que temos de mais humano, de mais profundo.
Uma grande mulher de Família, exemplar na sua dádiva total, Armanda Passos, com todos os sacrifícios, sorrisos e um imenso carinho, procurou sempre que cada um conseguisse realizar-se melhor e fosse mais feliz.

E foi esta sua imensa bondade interior, este seu carinho e dedicação familiar, que transportou para a sua obra. As mulheres que pintou assemelham-se a grandes divindades maternais. A carga iconográfica da sua obra advém da capacidade corpórea da mulher para ser luz e dar à luz.

Terra e céu, tão grandes como a mulher, envolvem-na por todos os lados, num abraço que se estende até nós, nos invade e acarinha.

Como pessoa, Armanda Passos era uma mulher de coragem, de grande força interior, que, de coração puro, amava tudo o que é simples e belo: uma flor, uma palavra amiga ou um mero gesto de ternura.

Em espírito de oração, agradeço a Deus a bênção de a Armanda ter estado connosco e, pela sua existência, o mundo ter ficado mais belo e mais poético e, através dela, termos todos ganho um horizonte de mais claridade, de mais humanismo e mais fraternidade.