Sociedade

DGS quer alargar vacinação pneumocócica gratuita a mais doentes de risco

A Doença Invasiva Pneumocócica (DIP) pode conduzir a situações muito graves, com elevada probabilidade de complicações, sequelas e morte.


A Direção-Geral da Saúde (DGS) atualizou as normas relativas à vacinação pneumocócica, recomendando a vacina polissacárida a todos os adultos com idade igual ou superior a 65 anos e alargando a sua gratuidade a doentes de risco a partir dos 18 anos. Esta informação foi veiculada hoje por meio de um comunicado da DGS relativo à vacinação contra a doença invasiva pneumocócica (DIP) dos adultos pertencentes a grupos de risco, cuja norma que vigorava desde 2015 foi agora atualizada.

Assim, "passa a recomendar-se a vacina polissacárida pneumocócica de 23 serotipos (Pn23) a todos os adultos com 65 ou mais anos, entrando em vigor um regime especial com comparticipação de 69%", anunciou a DGS, sendo que, tal como já acontecia com a vacina conjugada pneumocócica de 13 serotipos (Pn13), a vacina Pn23 "passa a ser gratuita para pessoas maiores de 18 anos pertencentes a determinados grupos de risco clínico".

Para além dos grupos de risco definidos em 2015, passam a usufruir de vacinação gratuita no Serviço Nacional de Saúde (SNS) pessoas com insuficiência respiratória crónica. Naquilo que diz respeito aos transplantados, a vacinação gratuita "abrange agora também os candidatos a transplante, a partir do momento em que forem incluídos na lista de espera para esse procedimento", lê-se igualmente no comunicado. Importa referir que as pessoas com 65 ou mais anos e com critérios clínicos para vacinação gratuita no SNS, no âmbito desta norma, podem optar por adquirir as vacinas na farmácia, "auferindo também do regime especial com comparticipação de 69% que, neste caso, abrange também a vacina conjugada de 13 serotipos (Pn 13)". 

A Doença Invasiva Pneumocócica (DIP) pode conduzir a situações muito graves, com elevada probabilidade de complicações, sequelas e morte. 

Os comentários estão desactivados.