Economia

Luz. Cada família gastou em média 751 euros em 2020

No ano passado, a despesa com eletricidade representou mais de metade (69,9%), do total despendido com energia na habitação.


No ano passado, a despesa com eletricidade representou mais de metade (69,9%), do total despendido com energia na habitação, segundo os dados divulgados pelo INE. Feitas as contas, do total despendido com energia no alojamento, correspondendo a uma despesa média anual de 751 euros por habitação. Em 2010, a despesa foi de 523 euros.

De acordo com os resultados definitivos do Inquérito ao Consumo de Energia no Sector Doméstico (ICESD 
2020), o consumo total de energia no setor doméstico foi de 5.098 ktep (quilotoneladas equivalentes de petróleo) em 2020, sendo que o consumo de energia nos veículos utilizados no transporte individual dos residentes no alojamento representou 43,8% do total (50,6% em 2010). 

Já o consumo global de energia por alojamento foi de 1.194 tep, incluindo o consumo nos transportes (1,501 tep em 2010). A despesa global com energia por alojamento foi de 1.900 euros, incluindo a despesa com combustíveis dos transportes (1.843 euros em 2010), segundo o instituto de estatística.

Ao analisar a distribuição das fontes de energia por tipo de utilização, o consumo de Biomassa aumentou, mantendo-se como a segunda principal fonte de energia (27,2%). O consumo de Gás natural ganhou importância em 2020 (11,5%) frente aos 9% em 2010.

Por sua vez, o Gasóleo de Aquecimento apresentou uma despesa média de 437 euros por ano (765 euros em 2010), a mais elevada a seguir à Eletricidade, tendo-se contudo reduzido o seu consumo em cerca de 58%, mostram os dados hoje divulgados esta terça-feira.

A utilização de energia na cozinha continuou a ter o maior peso (34,6%) em comparação com os 39,1% observados em 2010, face aos outros tipos de utilização no alojamento, sendo a eletricidade a principal fonte de energia para esta finalidade.

Segundo o INE, observou-se ainda uma transição para as lâmpadas de baixo consumo, que em 2020 foram utilizadas em 80% dos alojamentos (3,2% em 2010).