Cultura

Tiger King. Ativista Carole Baskin processa Netflix por uso indevido de imagens

O processo deu entrada num tribunal de Tampa, na Flórida, nos Estados Unidos, e visa tanto a Netflix como a produtora Royal Goode Productions.


Carole Baskin, némesis de Joe Exotic, processou a Netflix por causa do lançamento de Tiger King 2. Em causa está o facto de a plataforma de streaming ter usado imagens da ativista e do marido, Howard Baskin, no trailer da nova temporada da série.

Segundo revela a revista Variety, que cita documentos legais, o processo deu entrada num tribunal de Tampa, na Flórida, nos Estados Unidos, e visa tanto a Netflix como a produtora Royal Goode Productions.

Os documentos indicam que a produtora quebrou o contrato que tinha com Carole Baskin, ao usar imagens suas e da sua ONG Big Cat Rescue no trailer de Tiger King 2 – do qual a ativista não fará parte – quando estava apenas contratualizado o uso de imagens na primeira temporada.

Recorde-se que o antigo proprietário de um zoo está preso desde janeiro de 2019, após ter sido condenado a 22 anos de prisão por acusações de maus tratos animais e conspiração para matar a ativista. A nova temporada tem data de estreia marcada para dia 17 de novembro, na Netflix.