Internacional

Reino Unido aprova primeiro comprimido antiviral para combater o vírus SARS-CoV-2

Um ensaio clínico mostrou que o comprimido reduziu para metade o risco de hospitalização e morte em doentes de alto risco com covid-19.


O Reino Unido aprovou, esta quinta-feira, o medicamento Molnupiravir para combater e tratar o coronavírus, tornando-o o primeiro comprimido antiviral a ser endossado por um organismo de saúde pública para uso em doentes com covid-19. Especialistas disseram que o comprimido poderia oferecer uma nova promessa no combate ao coronavírus e a sua aprovação pelo regulador de medicamentos marca um passo importante no combate à pandemia.

O medicamento pode ser tomado por via oral e sendo um comprimido facilita o tratamento do vírus fora de um hospital, combatendo os sintomas antes que estes se tornem graves.

Um ensaio clínico mostrou que o comprimido reduziu para metade o risco de hospitalização e morte em doentes de alto risco com covid-19 que tomaram o medicamento pouco tempo depois da infeção – aumentando assim a esperança de que o medicamento seria uma nova forma de combater o vírus.

O Molnupiravir foi desenvolvido pela empresa farmacêutica Merck Sharp and Dohme e foi submetido para autorização de emergência à Food and Drug Administration, uma agência que faz parte do departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos da América (EUA) – que irá realizar uma reunião pública para rever o pedido no final do mês de novembro.

O regulador britânico autorizou o medicamento tanto para pessoas vacinadas como não vacinadas, que têm pelo menos um fator que as colocaria em alto risco de ficarem gravemente doentes. No ensaio clínico, os fatores de risco mais comuns eram ter mais de 60 anos de idade ou ter obesidade ou diabetes.