Sociedade

MP pede prisão efetiva para ex-presidente da Câmara de Pedrõgão Grande e antigo vereador

Em causa está o julgamento sobre a reconstrução das casas após os incêndios de 2017. 


O Ministério Público (MP) pediu, esta quinta-feira, a condenação do antigo presidente da Câmara de Pedrógão Grande Valdemar Alves e do antigo vereador Bruno Gomes a uma pena de prisão efetiva, no julgamento da reconstrução das casas após os incêndios devastadores de 2017.

“Atenta a quantidade de crimes, a gravidade, as molduras abstratas, a reiteração, achamos que devem ser condenados a penas de prisão efetiva", disse a procuradora do MP Catarina Lopes, citada pela agência Lusa, nas alegações finais no julgamento do Tribunal Judicial de Leiria.

Caso o tribunal entenda que se trata “apenas de uma resolução criminosa” e opte pela suspensão da pena, a procuradora defende que “essa suspensão não pode ser só daquelas com pouca eficácia”, devendo, por isso, incluir a reposição de montantes monetários.

Recorde-se que as acusações incidem sobretudo sobre crimes de falsificação de documentos e burla qualificada, na utilização do dinheiro de fundos públicos e donativos para recuperar as casas destruídas.

O incêndio de Pedrógão Grande fez 66 mortos e 253 feridos. Ficaram destruídas mais de 500 casas.

Os comentários estão desactivados.