Vida

Negacionistas e extremistas? "Punha-os todos no Alentejo a cavar ao sol", afirma Simone de Oliveira

Já aos saudosistas de Salazar “punha-os a fazer o que a PIDE fazia”, na prisão de Caxias, durante um mês ou dois. 


Simone de Oliveira teceu fortes declarações sobre o que pensa acerca dos movimentos negacionistas, extremistas e saudosistas do ditador António de Oliveira Salazar.

Em entrevista à revista Gerador, a cantora declarou: “Punha-os [aos negacionistas e extremistas] todos no Alentejo a cavar, ao sol. E pronto”.

Sobre o que diria aos saudosistas de Salazar, “que por vezes aparecem”, Simone de Oliveira afirma que lhes chamava de “parvos” e “punha-os a fazer o que a PIDE fazia”. “Punha-os na prisão. Vão para Caxias, um mês ou dois, ali com o mar a dar, sem comer nem nada, que é para saberem o que é”, frisou.

Durante a entrevista, o ícone da cultura portuguesa revelou ainda não “ter paciência” para os negacionistas da pandemia de covid-19, sublinhado que “gostava de os entender”. “Não tenho paciência. Não entendo. Eu gostava de entender os negacionistas. Não entendo, em relação a nada. Contra as vacinas? Porra! Vou já levá-las amanhã, todas. Não entendo… Olhe, não tenho idade, nem habilitações literárias para responder a essas coisas”, disse Simone de Oliveira.

"Se se dissesse [que a COVID-19] foi uma coisa que aconteceu em Portugal… mas está no mundo todo! Negacionistas? Como? Onde? A que horas? Porquê?", acrescentou.