Sociedade

Começa na segunda-feira inoculação dos profissionais de saúde com a 3.ª dose da vacina contra a covid-19

Anúncio foi feito por Lacerda Sales, à margem da cerimónia de aniversário da descoberta da insulina. 


Começa na próxima segunda-feira, dia 15, a administração da 3.ª dose da vacina contra a covid-19 aos profissionais de saúde. De acordo com o Secretário de Estado Adjunto e da Saúde, António Lacerda Sales, as vacinas vão começar já esta quinta-feira a ser distribuídas pelas instituições de saúde do país.

O anúncio foi feito à margem da cerimónia do 100.º aniversário da descoberta da Insulina, uma iniciativa da Sociedade Portuguesa de Diabetologia. 

A administração da terceira dose da vacina aos profissionais de saúde já tinha sido pedida por sindicatos e pela Ordem dos Médicos, que lembraram que os trabalhadores desta classe foram dos primeiros a ser vacinados no final de dezembro de 2020 e em janeiro deste ano.

Fazendo um balanço relativamente à vacinação da gripe e à administração da terceira dose da vacina contra a covid-19, o Secretário de Estado Adjunto avança que, provavelmente, entre esta quinta-feira e amanhã será atingido o valor de um milhão de vacinas de gripe e das 500 mil doses de vacinas da terceira toma contra a covid-19.

No que toca à toma conjunta das duas vacinas, adiantou que andarão em torno das 300 mil.

"Há aqui um esforço de planeamento estratégico por parte do núcleo de coordenação em juntar todos estes processos" que são "processos complexos", referiu Lacerda Sales, sublinhando que as pessoas têm a possibilidade de optar se querem levar uma ou as duas vacinas. O governante adiantou ainda que o espaço que estava normatizado de 14 dias entre a toma da vacina da gripe e o reforço da covid pode diminuir com a nova norma da Direção-Geral da Saúde.

"Se a pessoa entender que passados cinco, seis dias quer ser vacinado com uma ou outra vacina pode vir a ser vacinado", afirmou.

O secretário de Estado Adjunto e da Saúde reforço que a preocupação neste momento é vacinar as faixas etárias mais idosas.

Para chegar a esta população, as autoridades de saúde pediram ajuda às autarquias locais, nomeadamente às juntas de freguesia, para localizarem os idosos que se encontrem "em situações mais isoladas, mais sozinhos e que não se apercebam deste fenómeno". O pedido é no sentido de que os possam identificar e obter transporte para possam deslocar-se aos centros de vacinação e dar-lhes as respetivas orientações.

"Mais uma vez temos esta extraordinária colaboração como foi na primeira fase com as autarquias locais", disse, considerando "fundamental neste caso" o apoio das autarquias.