Sociedade

GNR apanha grupo responsável furtos em lares de idosos em todo o país

Pela dispersão territorial do fenómeno, com maior incidência nas regiões Centro e Norte do país, inquérito e investigação foram centralizados na Unidade de Intervenção da GNR.


A GNR, através da Secção de Investigação Criminal do Grupo de Intervenção de Operações Especiais (GIOE), levou a cabo, no passado dia 8 de novembro, uma operação policial no âmbito de um inquérito criminal, que culminou na detenção de quatro homens e uma mulher, com idades compreendidas entre os 25 e os 54 anos, nos concelhos de Pombal e Amadora, suspeitos de vários furtos em lares.

Segundo revela um comunicado da força de segurança, esta quinta-feira divulgado, os furtos ocorreram em lares de terceira idade, centros de apoio social e edifícios similares, e o objetivo “seria a extração dos cofres ali existentes, que em regra continham avultadas quantias em dinheiro e vários bens”.

“Através das diversas diligências de investigação, foi possível apurar a estrutura hierárquica do grupo e o respetivo modus operandi, que consistia em realizar reconhecimentos para explorarem as vulnerabilidades de vários lares e instituições e posteriormente, em regra durante a noite, fazerem a intrusão nas instalações através de arrombamento ou escalamento, para se apoderarem dos cofres e dos valores de alguns utentes”, explica a GNR.

Os suspeitos “encontravam-se organizados, com tarefas bem definidas na sua atuação”, desde a “pesquisa dos alvos, à condução dos veículos usados e ao manuseamento de ferramentas para o arrombamento”.

Assim, após as diligências policiais, foi dado cumprimento a 12 mandados de busca, sete domiciliárias e cinco não domiciliárias, em viaturas, nos concelhos de Pombal, Coimbra, Famalicão e Póvoa de Varzim, destacando-se as seguintes apreensões: quatro carros e um reboque, cerca de 13.800 euros, uma arma de fogo 6.35mm e 6 munições, 188 doses de folhas de canábis, 994 doses de haxixe, diversos objetos em ouro e joalharia, três computadores portáteis, 16 Telemóveis, dois aparelhos GPS, três cofres, dois carros de transporte de objetos, três Walkie-Talkies, uma câmara endoscópica, uma máquina fotográfica, diverso material de corte e arrombamento, uma escada telescópica, várias cordas, vestuário, várias luvas e gorros passa-montanhas e três lanternas.

As detenções ocorreram no decorrer da operação policial, que contou com a colaboração de várias Unidades da GNR, nomeadamente com o reforço das equipas dos Núcleos de Investigação Criminal dos Destacamentos Territoriais de Pombal, Leiria, Barcelos, Santo Tirso e Anadia, bem como o apoio da Polícia de Segurança Pública.

Segundo a força de segurança, três dos detidos já tinham antecedentes criminais, tendo um deles já cumprido pena de prisão por homicídio e outros dois por furtos, burlas e detenção de arma proibida.

Os cinco suspeitos foram presentes a primeiro interrogatório judicial no Departamento de Investigação e de Ação Penal (DIAP) de Lisboa no dia 9 de novembro, tendo sido aplicadas as seguintes medidas de coação: quatro detidos em prisão preventiva e um com termo de identidade e residência.

Veja aqui um dos furtos captado por câmaras de videovigilância 

Os comentários estão desactivados.