Desporto

Barcelona. Xavi entra a matar e não que ver repetidas festas

A chegada de Xavi ao comando técnico do FC Barcelona veio com punho de ferro. No espelho retrovisor ficam os ‘maus’ exemplos dos Galácticos do Real Madrid, ou das festas de Van Gaal.


No Barcelona, não há mais ‘macacadas’, e os jogadores estão sob um novo e estrito regime. Xavi Hernández regressou a Camp Nou para comandar os blaugrana, e veio com punho de ferro. Deixando para trás o Al Sadd do Qatar, Xavi, que representou as cores do Barcelona em mais de 700 jogos oficiais, anunciou os seus ‘10 mandamentos’ como treinador, citados pelo jornal AS, e não deixou espaço para qualquer brincadeira. Fica assim afastado qualquer cenário remotamente semelhante à altura em que os Galácticos do Real Madrid, rivais eternos do Barcelona, eram “um bando de loucos”. Palavras de Roberto Carlos no documentário Galácticos, que reconta os excessos e os excentricidades das festas organizadas pelos jogadores dessa geração do Real Madrid, algures no início do novo Milénio. 

Naquele então, as festas, até onde a imprensa conseguiu descobrir, eram exuberantes, marcadas principalmente pela mítica lenda dos autocarros cheios de prostitutas, e que se tornaram icónicas. Aliás, um memorável aniversário do brasileiro Ronaldo ficou marcado precisamente por esse elemento. Iván Helguera, na rede social Instagram, relatou em tempos o evento, recordando que, num dado momento, chegaram vários autocarros com ‘meninas’ à casa do brasileiro, altura em que decidiu deixar a festa junto da sua mulher, que o acompanhava.

A época de Del Bosque e dos Galácticos no Real Madrid foi, pelo menos segundo consta, de farra e muita libertinagem, tal como terá sido a passagem de Louis Van Gaal pelo comando técnico dos red devils, altura em que o treinador holandês ganhou a alcunha de ‘Party animal’ (animal de festas), e foi até visto a dançar num Desfile de Orgulho Gay, em 2013, em Amesterdão. 

Agora, no entanto, e uns quantos anos depois, Xavi parece querer afastar por completo qualquer hipótese de este tipo de festas acontecerem no plantel blaugrana. Aliás, tal é o controlo exercido pelo antigo jogador do Barcelona que Gerard Piqué, central com quem chegou a partilhar o balneário, foi ‘proibido’ de participar no talk-show El Hormiguero, do canal Antena 3, que seria gravado em Madrid, conforme avançou a imprensa desportiva espanhola.
Em causa estariam as restrições horárias impostas por Xavi, num plano divulgado pela comunicação social, onde estão definidos os seus ‘10 mandamentos’ aos comandos do Barcelona.

Horários severos Para começar, os jogadores passaram a ser obrigados a estar no centro de treinos uma hora e meia antes da sessão. Ordens de Xavi que acabam com o regime até agora imposto, em que os atletas chegavam muito mais perto da hora de arranque das mesmas. Agora, no entanto, e segundo os objetivos de Xavi, é necessário mais tempo, de forma a preparar os treinos, realizar palestras individuais e até para que os jogadores tomem um pequeno-almoço tranquilo. 

Mas as regras do técnico não são só para os jogadores. Também o staff passou a ter de chegar mais cedo aos treinos. Duas horas antes do arranque, aliás, começando pelo próprio. 

Xavi exige aos jogadores que cheguem mais cedo aos treinos, em parte, para poderem tomar o pequeno-almoço ‘descansados’, e a esta regra junta-se outra: comer fora do centro de treinos deixa de ser uma opção. Todos os jogadores da equipa principal passam assim a almoçar no centro de treinos do clube, segundo regras definidas pela equipa de nutricionistas do clube.

Multas de regresso Quando Luis Enrique deixou os comandos técnicos do Barcelona, em 2017, com ele morreu o conceito de aplicar multas aos jogadores por faltas leves, graves ou muito graves. Na altura, achou-se que a medida não fazia sentido, uma vez que os jogadores são profissionais e adultos, responsáveis pelas suas próprias ações.

Agora, no entanto, Xavi achou por bem regressar a esse modelo, com um rígido código de conduta.

Um modelo, aliás, em que as multas não só regressam, como funcionam num regime exponencial. Quer isto dizer que as mesmas aumentam conforme a reincidência de quem não cumpre estes ‘mandamentos’. Por exemplo, se um jogador chegar uma vez atrasado ao treino paga uma multa de 100 euros... mas à segunda, a multa não é novamente de 100, mas sim de 200 euros, e assim sucessivamente. 

Nada de noitadas Os jogadores do Barcelona estão também proibidos de, nas 48 horas prévias a um jogo, chegar a casa após a meia-noite. Prima-se assim o descanso, e um ritmo ‘saudável’ de vida.

O FC Barcelona é, a partir de agora, uma meritocracia. Ou seja, só aqueles que ‘dão tudo’ nos treinos, e nos jogos, é que passam a ganhar o direito de representar o emblema no relvado. Medidas pesadas, mas eventualmente necessárias, segundo a visão de Xavi, para uma equipa que, nesta temporada, tem dado muito que falar, e não pelos melhores motivos. O mérito passa também, por exemplo, e segundo a lista de mandamentos do espanhol, pela correta e equilibrada gestão das atividades que os atletas realizam para além dos treinos e dos jogos. 

Tudo aquilo que possa vir a ter efeitos no rendimento dos futebolistas terá, primeiro, de passar pelo departamento técnico do clube, ficando, desde já, proibidos de fazer viagens particulares de muitas horas de avião, durante a época, sem que primeiro Xavi dê luz verde.

E, se as atividades extradesportivas serão já alvo de análise e de inquérito por parte da equipa técnica do clube, há logo uma categoria que tem um ‘não’ assegurado. Os jogadores do Barcelona estão proibidos de realizar qualquer atividade de risco. Ou seja, a realização de surf, ou o uso de bicicletas elétricas, por exemplo, ficam logo proibidas. Esta regra, no entanto, não é uma novidade com a chegada de Xavi, sabendo-se já, depois da publicação do seu contrato com o clube culé, que Lionel Messi também estava proibido de realizar qualquer uma destas atividades, entre elas andar de mota de água, na altura em que ainda jogava com o emblema do Barcelona ao peito.

A realização de uma destas atividades, aliás, poderá ser vista como um incumprimento do contrato por parte do departamento jurídico do FC Barcelona. 

Esta regra deu pano para mangas pouco após a chegada de Xavi ao comando técnico do clube. É que, cerca de 24 horas depois da publicação destes ‘mandamentos’, Riqui Puig foi ‘apanhado’ numa trotinete elétrica, nas ruas de Barcelona, pelo Mundo Deportivo. 

Finalmente, segundo a lista de mandamentos publicada pelo jornal AS, todos os jogadores do Barcelona ficam obrigados a manter uma boa imagem pública, e a reger-se por uma lógica pura de ‘barcelonismo’. Ou seja, a relação com os adeptos do clube tem de ser exemplar, bem como com o próprio clube, e não há espaço para atitudes que possam ser consideradas ‘irresponsáveis’. Portanto, nada de festas nem de autocarros cheios de prostitutas...