Sociedade

Governo quer dar dose de reforço a todas as pessoas com mais de 65 anos, elegíveis, até 19 de dezembro

Já foram administradas um milhão de vacinas contra a gripe e 450 mil doses de reforço contra a covid-19. Lacerda Sales destacou o “marco assinalável do país” e que a campanha de vacinação contra a covid-19 foi algo “sem precedentes na nossa História”. 


Portugal já administrou um milhão de doses da vacina contra a gripe e 450 mil de reforço contra a covid-19, revelou, esta sexta-feira, o secretário de Estado Adjunto e da Saúde. Governo quer dar dose de reforço a todas as pessoas com mais de 65 anos, elegíveis, até 19 de dezembro.

Sublinhe-se que são elegíveis para a dose de reforço da covid-19 os utentes que preencham as três condições: idade igual ou superior a 65 anos, que não tenham tido a infeção e com o esquema vacinal completo há pelo menos 180 dias.

As declarações foram proferidas na conferência de imprensa sobre a campanha de vacinação contra a covid-19 e a gripe sazonal, na qual estão presentes, além de Lacerda Sales, Graça Freitas, diretora-geral da Saúde, e o coronel Carlos Penha-Gonçalves, responsável pelo plano de vacinação contra a covid-19.

Lacerda Sales destacou o “marco assinalável do país” e que a campanha de vacinação contra a covid-19 foi algo “sem precedentes na nossa História”. Apesar de “estarmos agora noutra fase” do plano de vacinação, “devemos continuar focados no objetivo primordial que é proteger as pessoas”, frisou.

Agora é “necessária uma atitude preventiva” que passa pela dose de reforço contra a covid-19, sendo algo “fundamental para não dar um passo atrás”. “Faremos de tudo para que não aconteça, mas continuamos a precisar do contributo de todos”, apelou.

Este fim de semana a vacinação da dose de reforço será feita em regime “casa aberta”, pelo que é expectável que o tempo de espera para a inoculação aumente, segundo o governante, lembrando que a localização dos centros de vacinação pode ser consultada no site da Direção-Geral de Saúde (DGS) e que os mesmos estão abertos das 9h às 17h.

Lacerda Sales anunciou ainda que os profissionais do setor social e dos bombeiros responsáveis pelo transporte de doentes vão começar a ser vacinados com a terceira dose dia 27 de novembro. Já os profissionais de saúde começam a ver vacinados já na próxima segunda-feira.

Na sua intervenção, Graça Freitas revelou que a norma sobre a vacinação de pessoas recuperadas será divulgada “nos próximos dias”.

“Estamos numa nova etapa da vacinação e essa nova etapa tem patamares. Começámos com as pessoas com mais de 80 anos”, afirmou, acrescentando que os “recuperados vão entrar num destes patamares”.

“Não estão sem proteção nenhuma, mas precisam de um reforço”, resume a diretora-geral da saúde.

Já o coronel Penha-Gonçalves afirmou que o objetivo é vacinar todas as pessoas com mais de 65 anos, elegíveis, até 19 de dezembro. “Estamos a pedir às pessoas que têm mais de 80 anos que se dirijam aos centros de vacinação. Não precisam de marcação, não precisam de SMS, vão ao centro de vacinação mais próximo”, disse.

O coordenador do núcleo do plano de vacinação revelou que está em curso a transição da vacinação contra a covid-19 para o Ministério da Saúde, mas não se sabe ainda quando estará concluído.

“Durante a primeira fase da vacinação foram desenvolvidos sistemas e metodologias que permitiram vacinar massivamente a população. Essas metodologias agora estão a ser transitadas para as estruturas do Ministério da Saúde”, explicou.

Sobre os dois medicamentos contra a covid-19 aprovados, na quinta-feira, pela Agência Europeia do Medicamento (EMA), a diretora-geral da Saúde disse que o Infarmed já concluiu o processo para sua aquisição. "A nossa missão é garantir que a população residente em Portugal tenha acesso a esse medicamento ou a essa vacina", frisou.

Notícia atualizada às 12h55.