Internacional

COP26. Pacto Climático de Glasgow aprovado

 A aprovação final do texto surge após duas semanas de negociações.


Os países reunidos na 6.ª conferência do clima das Nações Unidas (COP26), em Glasgow, chegaram, este sábado, a acordo para acelerar o combate às alterações climáticas.

O Pacto de Glasgow foi selado pelo britânico Alok Sharma, que presidiu as negociações e que bateu com o martelo na mesa para encerrar oficialmente os trabalhos, já depois de uma alteração de última hora proposta pela Índia, que suaviza o apelo ao fim do uso de carvão.

O país pediu que a versão do documento que pedia para acelerar os esforços pelo “fim da energia a carvão e dos subsídios aos combustíveis fósseis” fosse substituída pela “diminuição da energia a carvão”. Apesar das críticas, nomeadamente da União Europeia, esta versão final acabou por ser aprovada.

Alok Sharma mostrou-se emocionado e pediu desculpa pela forma como as negociações de última hora decorreram. "Peço desculpa pela forma como este processo foi desenvolvido. Peço imensa desculpa. Também percebo a profunda desilusão. Mas também é crucial que protejamos este acordo", afirmou,

Entre as principais medidas está o objetivo de diminuição das emissões de dióxido de carbono em 45% até 2030, em relação a 2010, além do aumento do financiamento climático por parte dos países desenvolvidos em, pelo menos, o dobro, para a adaptação às alterações climáticas dos países mais pobres. Fica ainda o apelo para os países mais ricos e instituições financeiras "acelerarem o alinhamento das suas atividades de financiamento com os objetivos do Acordo de Paris". Este pacto reafirma também o objetivo de limitar o aumento da temperatura a 1,5ºC (graus celsius), que já tinha sido decidido há seis anos no Acordo de Paris.

Limitar o aquecimento global a 1,5ºC exige "reduções rápidas, profundas e sustentadas das emissões globais de gases com efeito de estufa, incluindo a redução das emissões globais de dióxido de carbono em 45% até 2030 em relação ao nível de 2010 e para zero por volta de meados do século, bem como reduções profundas de outros gases com efeito de estufa", indica o acordo. 

Recorde-se que líderes políticos e milhares de especialistas, ativistas e decisores públicos estiveram reunidos, até este sábado, em Glasgow, na Escócia. A COP26 decorreu seis anos após o Acordo de Paris.

Notícia atualizada pelas 20h51