Internacional

Tiroteio em prisão do Equador faz pelo menos 68 mortos

Há também 25 feridos.


Pelo menos 68 reclusos morreram, este sábado, na sequência de um tiroteio entre gangues rivais, naquela que é a maior prisão do Equador, localizada em Guayaquil. O tiroteio, no qual estarão envolvidos gangues com ligações a cartéis de droga internacionais, prolongou-se por oito horas.

Segundo revelou Pablo Arosemena, governador da província de Guayas, citado pela imprensa internacional, os reclusos “tentaram dinamitar uma parede para entrarem no pavilhão 2 e executarem um massacre”. Além disso, “também queimaram colchões, para tentarem 'afogar' (os rivais) em fumo”.

Já a polícia explicou que conseguiu perceber, com recurso a drones, que havia presos com armas e explosivos em três pavilhões, que estavam a tentar entrar no pavilhão 2 – este pavilhão ficou sem líder no início da semana, depois de este ter sido libertado.

No total, há registo de 68 mortos e 25 feridos.

Sublinhe-se que há registo de vários incidentes semelhantes ocorridos no país, que tem prisões sobrelotadas. Em setembro, 119 reclusos morreram numa prisão também em confrontos entre grupos rivais.