Desporto

Depois de perder contra Irão, Federação da Jordânia quer provas de como guarda-redes é de facto mulher

A polémica escalou com a vitória do Irão sobre a Jordânia nos penáltis (4-2), na qualificação para a Taça da Ásia de 2022, onde Zohreh Koudaei defendeu duas grandes penalidades. 


Depois do triunfo histórico da seleção de futebol feminino do Irão contra a Jordânia, instalou-se uma polémica com a guarda-redes Zohreh Koudaei. A federação da Jordânia pediu à Confederação Asiática de Futebol para apurar se Koudaei é realmente uma mulher. 

A polémica escalou com a vitória do Irão sobre a Jordânia nos penáltis (4-2), na qualificação para a Taça da Ásia de 2022, onde Zohreh Koudaei defendeu duas grandes penalidades. 

Foi a primeira vez na história que o Irão se qualificou para esta prova, contudo a Jordânia não deixou o adversário saborear a vitória. O presidente da federação de futebol do país, o príncipe Ali Bin Al-Hussein, fez um pedido de "verificação de sexo" da guarda-redes, frisando que as alegações "são muito sérias se forem verdadeiras".

Já Maryam Irandoust, a selecionadora do Irão, acredita que as acusações não passam de um "pretexto para não aceitar a derrota".

A jogadora em questão já anunciou que vai processar a federação da Jordânia. "Sou uma mulher. Eles estão a fazer bullying".