Internacional

Alemanha prepara-se para um natal "dramático"

Na Saxónia, o estado com a taxa de vacinação mais baixa na Alemanha, até já se planeia um confinamento só para as pessoas não-vacinadas.


Vem aí um natal terrível na Alemanha, onde se pondera até um confinamento só para pessoas não vacinadas, agora que o país bate sucessivos recordes no número diário de infeções por covid-19, chegando aos 65,371 casos registados na quinta-feira, um aumento de 12,545 em relação ao dia anterior, com 246 mortes nesse período. O marco sombrio surgiu horas após Angela Merkel admitir que a situação pandémica está "dramática",

"Não consigo dizê-lo de outra maneira", lamentou a chanceler, perante uma tragédia que tem afetado sobretudo o sul e o leste do país, numa altura em que somente uns 68% dos alemães estão vacinados. "A quarta vaga está a atingir o nosso país com toda a força". Já o diretor do Instituto Robert Koch, Lothar Wieler, também se mostrou extremamente preocupado. "Vamos ter um natal realmente terrível se não tomarmos medidas agora", avisou. 

A ideia de um confinamento só para pessoas não vacinadas, à semelhança daquilo a que assistimos na Áustria, tem tido como pioneiro o estado da Saxónia, que tem uma das taxas de imunização mais baixas da Alemanha, com apenas 57,6% completamente vacinados. Os planos do estado incluem novas regras de distanciamento social, bem como a obrigação de mostrar certificado de vacinação para entrar em todos os estabelecimentos, exceto supermercados e farmácias.