Sociedade

Homem condenado a 17 anos de prisão por matar ex-companheira à queima-roupa

Caso aconteceu em julho do ano passado, em Aveiro.


Manuel Rodrigues, de 80 anos, foi na manhã desta sexta-feira, condenado pelo tribunal de Aveiro a uma pena de prisão de 17 anos por ter matado a ex-companheira, Arminda Monteiro, de 52 anos, em Ovar, com dois tiros de caçadeira. 

A notícia foi avançada pelo Correio da Manhã, que informa que o coletivo de juízes considerou que a maioria dos factos constantes na acusação pública ficaram provados, tendo, por isso, o arguido sido condenado pelo crime de homicídio qualificado.

No entanto, o homem foi absolvido dos crimes de violência doméstica e de posse de arma proibida, de que também estava acusado, e condenado a pagar uma indemnização de 85 mil euros ao filho da vítima.

Os factos aconteceram em julho de 2020, na avenida 29 de Março, junto à associação mutualista Santa Maria, em Esmoriz, onde Arminda Monteiro trabalhava como cobradora de quotas. Aí, o homem disparou dois tiros à queima-roupa sobre a vítima, o segundo já quando esta se encontrava no chão.

De acordo com a acusação, o casal estava separado há dois meses, após uma relação de 15 anos. O término terá sido provocado pelos ciúmes frequentes do arguido, sendo que Arminda decidiu terminar a relação. Manuel Rodrigues não terá aceitado a separação e esperou que a ex-companheira chegasse ao local de trabalho para a abordar.

O arguido, que terá disparado dois tiros fatais sob a vítima, explicou ao coletivo de juízos que foi ter com a ex-companheira "para lhe mostrar a caçadeira e perguntar-lhe se tinha serrado os canos da arma".

"A arma disparou duas vezes por acidente, não sei o que aconteceu", acrescentou.

Um bombeiro que estava no edifício a dar uma formação de primeiros socorros ouviu os disparos e socorreu a vítima com manobras de reanimação.

A mulher sofreu uma paragem cardiorespiratória, tendo o óbito sido declarado no local pela equipa de viatura médica de emergência e reanimação (VMER) de Santa Maria da Feira.

Manuel Rodrigues foi depois detido pela GNR de Esmoriz e entregue à Polícia Judiciária de Aveiro.