Internacional

Áustria anuncia confinamento geral e vacinação contra a covid-19 obrigatória

O país, com cerca de nove milhões de habitantes, regista uma incidência de 990.7 novos casos por 100 mil habitantes a 14 dias. Nas últimas 24 horas, foi registado um recorde de novos casos: 15.809. Também a Rússia e a Hungria registaram hoje máximos da covid-19.

 


A Áustria vai impor um confinamento a toda a população já a partir da próxima segunda-feira, dia 22 de novembro, anunciou, esta sexta-feira, o chanceler Alexander Schallenberger. Aquele que é o primeiro país da União Europeia (UE) a regressar ao confinamento geral anunciou ainda que vai tornar a vacinação obrigatória a partir do dia 1 de fevereiro de 2022.

O confinamento terá uma duração inicial de dez dias, prazo que poderá ser prolongado. O anúncio surge um dia após as regiões de Salzburgo e Alta Áustria, as mais atingidas pela pandemia, terem anunciado confinamentos regionais.

“Não queremos uma quinta vaga. Nem uma sexta, nem uma sétima. Isto é muito doloroso”, justificou Schallenberger.

A Áustria é dos países europeus com a taxa de vacinação mais baixa. Apenas cerca de 64% dos austríacos têm o esquema vacinal completo, abaixo da média de 66,47% da UE.

“Apesar de meses de persuasão, não conseguimos convencer as pessoas o suficiente para serem vacinadas”, frisou o chanceler, acusando as que não querem ser vacinadas de um “ataque ao sistema de saúde”.

O país, com cerca de nove milhões de habitantes, regista uma incidência de 990.7 novos casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias. Nas últimas 24 horas, foi registado um recorde de novos casos: 15.809.

Também a Rússia e a Hungria registaram hoje máximos da covid-19. Na Rússia morreram 1.254 pessoas – o número mais elevado de sempre – e foram registadas mais 37.156 infeções.

Já na Hungria, país com cerca de 10 milhões habitantes, registaram-se 11.289 casos de covid-19. No sábado, irão entrar em vigor novas medidas para combater a propagação do vírus: uso de máscara obrigatório em todos os espaços fechados, exceto ginásios, e apresentação do certificado covid-19 em eventos com mais de 500 pessoas.