Opiniao

Estava sinalizada? Mas morreu na mesma!

A verdade é que nem quando de facto se apresentam provas e temos a palavra sinalizada escrita na testa, serve de alguma coisa para os tribunais...


Quão ofensiva, começa a ser esta frase no meu país. «Estava sinalizada» ou estavam sinalizados. Em ambos os casos que vou passar a contar, três das vítimas foram salvas pelos bombeiros e a outra acabou por ver morrer o filho em circunstâncias macabras em contexto de violência doméstica.

A verdade é que nem quando de facto se apresentam provas e temos a palavra sinalizada escrita na testa, serve de alguma coisa para os tribunais. Mas vamos então a estes dois casos. Um, que me foi reportado por uma bombeira, em que três idosos sinalizados, vivam num casebre com ratos, sem comida, sem acesso a higiene ou a alimentação. À mercê de uma sopa e um bocado de pão, vindo da caridade e bondade de uma professora.

A outra situação, a do pequeno Tasso, onde a mãe já estava ‘sinalizada’ por episódios de violência doméstica, no entanto o progenitor acabou por lhe matar o filho, pois não lhe foram impedidas as visitas. Eu pergunto-me, o que é estar sinalizado no nosso país? Há pouco tempo, recebi uma mensagem de uma assistente social que me fazia ver a falta de técnicos, a falta de meios e de tudo e mais alguma coisa para a quantidade de casos.

Portanto, caso como se me dissesse, fazemos o melhor que podemos, mas isto está tudo em muito mal estado. No entanto, não é essa a ideia que temos do país, pois não? Com as suas ‘bazucas’ e os seus afins. Idosos sinalizados, em pele e osso, sem conseguirem ver, a viver com ratos. Mães sinalizadas com os filhos mortos nos braços. Em ambas as situações, temos uma questão de mortos por tratar. Certo? 

Alguém no meio, anda a tentar fazer o melhor que pode, pelos sinalizados, mas a verdade é que, são muitos, são tantos, que sentimos que temos que ajudar todas e todos, porque sabemos da sua existem e porque no fim sabemos que essa palavra por agora não vale absolutamente nada a não ser a quantidade expressiva de pessoas que temos de ajudar!

«Segundo os dados deste ano, recolhidos durante o mês de outubro por meio de 172 ações em sala e 3431 ações porta a porta e que abrangeram um total de 19812 idosos, os idosos de Loures poderiam estar incluídos no total de 1125 sinalizados em Lisboa – que, há dois anos, era a capital da União Europeia com mais idosos, segundo o Eurostat. Sabe-se que os distritos de Vila Real e da Guarda são aqueles onde foram contabilizados mais idosos a viver nestas condições, ou seja, 5191 e 5012, respetivamente. Seguem-se os distritos de Beja, Bragança, Faro, Portalegre e Viseu, com mais de 3000. Curiosamente, o único distrito que tem menos de mil idosos sinalizados é o do Porto, com 946.»

Em relação às vítimas de violência doméstica, referenciadas, sinalizadas, continuarei a fazer o melhor que posso, sem conseguir impedir estas mortes terríveis que apenas podem pairar na consciência dos juízes portugueses, que pouco ou nada fazem para parar estes flagelos, seja contra a violência doméstica seja contra a violação!