Internacional

"Sejam livres, sejam autênticos, sejam consciência crítica da sociedade", pede Papa aos jovens

Por fim, numa etapa rumo à Jornada Mundial da Juventude de 2023, que se realizará em Lisboa, o chefe supremo da Igreja Católica pediu aos jovens que "sejam livres, sejam autênticos, sejam consciência crítica da sociedade" e que "não tenham medo de criticar".


O Papa Francisco apelou, este domingo, aos jovens católicos que sejam “consciência crítica da sociedade”. Numa missa na Basílica de São Pedro, em Roma, no dia em que a Igreja Católica assinala o Dia Mundial da Juventude, o Papa instou ainda os jovens a encontrar a "coragem de ir contracorrente", precisando que tal não é “ir contra alguém”.

“Assim, na liberdade de Jesus, encontramos também a coragem de ir contracorrente: não contra alguém, como os que se fazem de vítima e os intrigantes que sempre dão a culpa aos outros. Isso não, mas contra a corrente doentia do nosso eu egoísta, fechado e rígido, para seguirmos o rasto de Jesus. Ele ensina a lançar-nos contra o mal só com a forca mansa e humilde do bem. Sem atalhos, nem falsidades”, afirmou.

“O nosso mundo, ferido por tantos males, não precisa de outros compromissos ambíguos, de pessoas que giram para cá e para lá como as ondas do mar, de quem se posiciona com um pé à direita e outro à esquerda, depois de ter sondado o que convém. Os equilibristas. Um cristão que vá assim será mais equilibrista do que cristão. Por favor, tenham medo de serem jovens equilibristas”, acrescentou.

Por fim, numa etapa rumo à Jornada Mundial da Juventude de 2023, que se realizará em Lisboa, o chefe supremo da Igreja Católica pediu aos jovens que "sejam livres, sejam autênticos, sejam consciência crítica da sociedade" e que "não tenham medo de criticar".

“Tantos de vós andam a criticar, por exemplo, a poluição ambiental. Precisamos disso. Sejam livres na crítica, tenham a paixão da verdade para que possam dizer que, com os vossos sonhos, a vossa vida não é escrava da lógica deste mundo”, considerou.