Economia

Mais de 40% dos portugueses fez compras online este ano

A taxa de utilização do comércio eletrónico aumentou principalmente no caso das mulheres. 


Em 2021, 40,4% das pessoas dos 16 aos 74 anos efetuaram encomendas pela internet, mais 5,2 pontos percentuais (p.p.) do que no ano anterior, de acordo com os dados divulgados, esta segunda-feira, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

A taxa de utilização do comércio eletrónico aumentou principalmente no caso das mulheres, mais 8,8 p.p., observando-se, em 2021, uma proporção significativamente superior (43,2%) à dos homens (37,4%).

No que se refere ao padrão dos produtos ou serviços encomendados, este é semelhante ao de 2020, mantendo-se a predominância dos utilizadores que encomendaram roupa, calçado e acessórios de moda (69,0% em 2021 e 60,4% em 2020), refeições em takeaway ou entrega ao domicílio (46,0% em 2021 e 38,2% em 2020) e filmes, séries ou programas de desporto (34,9% em 2021 e 34,3% em 2020).

Segundo o gabinete de estatística, estes resultados são também sustentados pelo facto de este ano a percentagem de agregados familiares com ligação à internet em casa através de banda larga ter aumentado 2,4 p.p. em relação ao ano anterior, sendo agora de 84,1%.

Todavia, o INE aponta que a proporção de utilizadores do comércio eletrónico em Portugal continua a ser significativamente inferior à média da União Europeia (em 2020, 54% da população europeia (EU-27) tinha efetuado encomendas online).

Por regiões, a Área Metropolitana de Lisboa continua a ser a região em que a proporção de utilizadores do comércio eletrónico é mais elevada (46,6%), e nas regiões do Alentejo e do Algarve registam-se pela primeira vez percentagens de utilizadores ligeiramente superiores à média nacional. A região do Centro continua, tal como em 2020, a registar uma taxa muito próxima da referência nacional, com 39,8% de utilizadores de comércio eletrónico.