Internacional

Eurodeputado sueco condenado por abuso sexual após tocar nos seios de colega

O Tribunal de Recurso de Göta, no sul da Suécia, deu como provado que "o eurodeputado tocou nos seios da queixosa e que tal tinha sido feito contra a sua vontade".


Peter Lundgren, eurodeputado do partido nacionalista sueco Democratas Suecos, foi, esta segunda-feira, condenado por abuso sexual de uma colega. O político tinha sido absolvido do caso em primeira instância, mas foi agora considerado culpado pelo Tribunal de Recurso de Göta, no sul da Suécia, e condenado a 60 dias de multa.

O caso foi julgado após o procurador ter “apresentado mais provas”, tendo o tribunal concluído que não havia "qualquer dúvida razoável" de que “o eurodeputado tocou nos seios da queixosa e que tal tinha sido feito contra a sua vontade”.

O caso remonta a maio de 2019, na altura a vítima, Kristina Winberg, alertou os líderes partidários sobre a situação, mas, segundo escreve a imprensa sueca, a denúncia terá levado à sua retirada da lista do partido para as eleições europeias seguintes.