Cultura

Kevin Spacey condenado a pagar indemnização de mais de 27 milhões a produtora de "House of Cards"

O processo arbitral concluiu que as testemunhas eram credíveis ​sobre as alegações de assédio sexual contra o ator.

 


Kevin Spacey vai ser obrigado a pagar mais de 27 milhões de euros por ter quebrado os termos do contrato, após ter sido acusado de assédio por um assistente de produção.

O ator norte-americano Kevin Spacey foi condenado a pagar 31 milhões de dólares, o equivalente a de 27,5 milhões de euros, à produtora da série “House of Cards”, não só como  indemnização por quebra de contrato, como também para mitigar “os prejuízos provocados pelo seu comportamento durante as filmagens”.

Apesar da multa ter sido aprovada por um tribunal arbitral em 2020, esta só foi conhecida na segunda-feira, quando a produtora MCR apresentou uma ação no Supremo Tribunal de Los Angeles, na qual reclama o pagamento daquele valor.

De acordo com o jornal The Hollywood Reporter, o tribunal arbitral considerou que o ator “havia violado os termos do contrato com o seu comportamento, depois de ter sido acusado de assédio sexual por um assistente de produção”.

A denúncia surgiu depois de uma onda de testemunhos contra Spacey, que viu a sua carreira desmoronar em 2017 após várias acusações de agressão sexual.

Nessa altura, quando os casos vieram à tona, a produtora eliminou o papel do ator em “House of Cards”, sendo obrigada a reescrever completamente a sexta temporada da série e a reduzir o número de episódios de 13 para oito de forma a cumprir a data de estreia anunciada pela plataforma de streaming Netflix.

Durante o julgamento, a companhia, responsável por outras séries como “Ozark” e “The Shrink Next Door”, alegou que o ator não prestou os seus serviços “de forma profissional” ou de acordo com as políticas de comportamento delineadas.

Kevin Spacey apelou a decisão do juiz. Contudo, o seu pedido foi negado este mês.