Internacional

Von der Leyen usa Portugal como exemplo para demonstrar eficácia e impacto da vacinação contra a covid-19

A presidente da Comissão Europeia centralizou a sua intervenção num debate no Parlamento Europeu, em Estrasburgo, França, na necessidade de vacinar contra o vírus, dado que na União Europeia (UE) existem "enormes disparidades" em relação à taxa de vacinação da população adulta, que varia entre os 29% e os 92%.  


A presidente da Comissão Europeia usou Portugal como exemplo para reforçar a importância da vacinação para controlar a mitigação da pandemia da covid-19 

Ursula von der Leyen centralizou a sua intervenção num debate no Parlamento Europeu, em Estrasburgo, França, na necessidade de vacinar contra o vírus, dado que na União Europeia (UE) existem "enormes disparidades" em relação à taxa de vacinação da população adulta, que varia entre os 29% e os 92%.  

"As vacinas protegem. Os dados mostram que a probabilidade de uma pessoa vacinada ficar gravemente doente, ter de ser hospitalizada ou morrer [de covid-19] é muito mais baixa. E podemos ver que na maioria dos países as camas de cuidados intensivos estão ocupadas por pessoas ou que não foram vacinadas ou apenas parcialmente. Por isso é muito clara a correlação", apontou a presidente, evidenciando, no entanto, que a "pandemia está longe de ter chegado ao fim". 

Para robustecer a sua intervenção, Von der Leyen destacou Portugal e Espanha, onde mais de 80% dos adultos estão vacinados: "o risco de morrer de covid-19 durante as primeiras duas semanas de novembro era 30 vezes menor do que nos países com as mais baixas taxas de vacinação".

"Olhando para a taxa de mortalidade e hospitalizações, damo-nos conta de que assistimos hoje a uma pandemia dos não vacinados. Por isso continua a ser uma prioridade chave prosseguir a vacinação", sublinhou a presidente, que considerou necessário "perceber melhor por que algumas pessoas não se vacinam", criando mais campanhas de sensibilização, com informação clara e generalizada em todos os Estados-membros. 

De forma a manter a imunidade elevada, Ursula von der Leyen também frisou a importância de avançar com as doses de reforço, sobre as quais a Europa tem "a felicidade de ter doses suficientes", pelo que deve simplesmente "continuar a seguir a ciência". 

Para terminar o discurso, a líder da comunidade europeia voltou a assinalar a importância de outras medidas para além da vacinação, como o distanciamento físico, a utilização de máscaras de proteção e regras de higiene. "Não nos esqueçamos que na UE morrem diariamente 1.600 pessoas de covid-19 [média da semana passada], pelo que a vacinação e as medidas sanitárias são uma questão de solidariedade que salva vidas", concluiu.

A Comissão Europeia deverá apresentar, ainda esta semana, uma proposta de atualização das recomendações relacionadas com a livre circulação na UE, de modo a garantir uma coordenação entre os países da comunidade na matérias sobre as viagens.