Cultura

Storyboard de "Dune" vendido por mais de 2 milhões de euros bate recorde em leilão

De acordo com os resultados divulgados pela Christie´s do leilão de livros e manuscritos raros realizado na segunda-feira, o volume alcançou ainda o segundo valor mais elevado para um livro vendido pela mesma leiloeira.

 


O storyboard do filme "Dune", criado pelo realizador Alejandro Jodorowsky para um projeto que não chegou a ser concretizado, foi vendido num leilão, em Paris, por 2,66 milhões de euros, “um valor recorde para aquele tipo de documento” - o storyboard dos anos 70 alcançou “um valor quase 110 vezes superior à estimativa pré-venda, tornando-se no mais caro vendido num leilão”, segundo a leiloeira Christie´s.

Entende-se por storyboard a descrição detalhada da história, a partir da qual o filme vai ser realizado, com indicações das imagens como elas virão ser transpostas para o ecrã.

De acordo com os resultados divulgados pela Christie´s do leilão de livros e manuscritos raros realizado na segunda-feira, o volume alcançou ainda o segundo valor mais elevado para um livro vendido pela mesma leiloeira.

A adaptação fílmica de Alejandro Jodorowsky da série de livros de ficção científica do norte-americano Frank Herbert dos anos 1960 tornou-se um projeto gigantesco que nunca chegou a ser realizado. O filme reuniria o desenhador francês Jean Giraud (1938-2012), também conhecido por Moebius, o ilustrador de ficção científica britânico Christopher Foss e o artista plástico suíço H. R. Giger (1940-2014) como diretores de arte.

A banda sonora seria criada pelos grupos Pink Floyd e Magma e, no elenco, participariam o pintor surrealista Salvador Dali, o cantor Mick Jagger e o ator David Carradine.

A obra vendida no leilão a um comprador norte-americano é uma das muito poucas cópias conhecidas do cineasta, atualmente com 92 anos. O livro, que inclui ainda várias imagens em pormenor do que o filme deveria ser, estava estimado entre os 25 mil e 35 mil euros, de acordo com a Christie's. 

A série de livros "Dune", escrita por Frank Herbert, também inspirou outros realizadores, como David Lynch, em 1984, e, este ano, o canadiano Denis Villeneuve, cujo resultado está ainda nas salas de cinema.