Cultura

Mosaico romano raro da Guerra de Tróia encontrado sob campos agrícolas do Reino Unido

A peça rara foi encontrada numa vila romana sob o campo de um fazendeiro em Rutland e foi protegida pelo Departamento de Digital, Cultura, Mídia e Esporte (DCMS) a conselho da Inglaterra Histórica. É a única descoberta deste tipo no Reino Unido, exibindo cenas impressionantes da Ilíada de Homero, e é uma das poucas ocorridas em toda a Europa. Os restos do mosaico medem 11 metros por quase 7 metros e retratam parte da história do herói grego Aquiles.

 


Um mosaico romano que descreve a história do herói grego Aquiles foi encontrado sob um campo agrícola no centro da Inglaterra, como parte de uma villa maior que também foi desenterrada.

A descoberta, inicialmente feita por Jim Irvine, filho de um fazendeiro dono das terras na cidade de Rutland, foi declarada de interesse nacional pelo governo britânico, e, por isso, as escavações continuarão no próximo ano a cargo da organização de preservação do património Inglaterra Histórica.

Os arqueólogos desta entidade e da Universidade de Leicester acreditam que os restos do mosaico - com cerca de 11 por 7 metros - constituem o chão de uma sala de estar ou de uma sala de jantar de uma casa que seguramente pertencia a um "indivíduo rico com conhecimentos da literatura clássica". 

Ao seu redor encontram-se outros edifícios, incluindo possivelmente uma casa de banho e estruturas circulares, todos eles datados entre os séculos III e IV. 

A organização afirmou que este tipo de mosaico é raro na Europa e único no Reino Unido pela razão que representa Aquiles na sua batalha com o príncipe de Tróia Heitor no final da Guerra de Tróia. 

Irvine descobriu o que pensava serem "amostras peculiares de cerâmica" em novembro de 2020, durante o confinamento gerado pela pandemia da covid-19, quando caminhava pelos campos do seu pai, Brian Naylor. Mais tarde, uma análise da área usando imagens de satélite confirmou que poderia haver algo importante ali sepultado. 

“Foi uma viagem fascinante e muito emocionante estar envolvido nesta descoberta”, afirmou o britânico, que imediatamente informou as autoridades para que pudessem prosseguir com a escavação do campo.

A organização Inglaterra histórica, revelou que, restos humanos, provavelmente da era anglo-saxônica, também foram encontrados entre as ruínas, que nos séculos posteriores foram subterradas por atividades agrícolas.

Agora, as autoridades vão colaborar com a família para converter a terra em pasto e criar uma amostra explicativa das descobertas fora da propriedade privada.