Cultura

Jardins premiados

Cinco jardins portugueses entraram na lista dos melhores espaços verdes do mundo. O programa Green Flag Award considerou o Jardim Botânico do Porto, o Parque da Cidade e o Jardim do Passeio Alegre, no Porto (novamente, depois dos títulos em 2019 e 2020), bem como o Parque Aventura e Trilho Ecológico, em Baguim do Monte, e o Jardim do Monte Latito, em Guimarães, como cinco dos mais belos e interessantes do mundo.

DR  


Jardim do Monte Latito
Bem a Norte, na cidade de Guimarães, o Jardim do Monte Latito foi um dos cinco jardins portugueses consagrados na lista dos melhores do mundo. E não restam dúvidas do porquê da sua inclusão. Bem próximo do centro da cidade, e do histórico Castelo de Guimarães, este espaço verde dá aos vimaranenses um amplo e rico local para praticar exercício ao ar livre, ou simplesmente para passear e descansar a alma. Nele, para além do Castelo, o Paço dos Duques de Bragança e a Igreja de São Miguel são também dois interessantes locais a visitar.

Parque Aventura e Trilho Ecológico
Em Baguim do Monte, a cerca de 12 quilómetros da cidade do Porto, o Parque Aventura da Lipor é um dos chamarizes ‘verdes’ de Gondomar, com espaços para a realização de atividade física. O parque tem uma história curiosa, nascendo do aproveitamento de 19 hectares que, nos anos 70, formavam o aterro sanitário de Baguim do Monte. Hoje em dia, as atividades são variadas, desde o Parque Radical até ao Circuito de Arborismo, passando pelo Parque Infantil, Campo de Minigolfe, Trilho Ecológico, Mini Campo de Futebol e até uma  Banca de Gelados para os mais novos. O espaço preocupa-se também com a salvaguarda e a manutenção da biodiversidade, focando-se no vizinho rio Tinto.

Jardim do Passeio Alegre
A caminho da Foz do Douro, um espaço verde nas bordas do rio capta sempre o olhar dos visitantes. O jardim do Passeio Alegre, com os seus icónicos bancos vermelhos e alta vegetação, à beira-rio, é o local ideal para parar, pensar e refletir. Para descansar, para escrever e para respirar a maresia que se mantém bem perto. Projetado pelo arquiteto paisagista Émile David, este espaço de cerca de 4 hectares é a porta de entrada para a pitoresca zona da Foz.

Jardim Botânico do Porto
Na zona Oeste da cidade do Porto, perto das Faculdades de Ciências, Arquitetura e Letras da Universidade do Porto, o Jardim Botânico da cidade é, por excelência, o sítio para estudantes – e não só – recarregarem baterias, por entre uma rica diversidade de jardins. A imponente Quinta do Campo Alegre (ou Casa Andresen) marca a pauta arquitetónica do jardim e serve de postal para o mesmo. É, aliás, figura presente na obra de Sophia de Mello Breyner Andresen, que viveu nesta casa durante a sua infância, e que a imortalizou na sua obra O Rapaz de Bronze.

Parque da Cidade
Localizado  na fronteira entre o Porto e Matosinhos, o Parque da Cidade é o pulmão verde desta capital a Norte. Biodiversidade, um pitoresco lago e muito, muito espaço para caminhar e fazer desporto são as principais características deste espaço, que se alonga, por entre a Estrada da Circunvalação e a Avenida da Boavista, até ao mar. A fauna e a flora do parque é especial e única, garantindo um espaço ideal para piqueniques e passeios, tanto no inverno como no verão. No mês de maio, milhares de estudantes invadem o Parque, nomeadamente na zona do Queimódromo, onde todos os anos ocorre a Queima das Fitas da Federação Académica do Porto.