Cultura

Escritora Almudena Grandes morre aos 61 anos vítima de cancro

A autora tem três obras publicadas em Portugal: “Os doentes do doutor García”, de 1999, “Castelos de cartão”, de 2007, e “Os ares difíceis”, de 2008.


A escritora Almudena Grandes morreu hoje, aos 61 anos de idade, na sua casa em Madrid, Espanha, vítima de um cancro detetado em setembro do ano passado, informou fonte da editora Tusquets. O primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, lamentou a morte da escritora.

"Perdemos uma das principais escritoras do nosso tempo (...) empenhada e corajosa, que narrou a nossa história recente de um ponto de vista progressista. A sua memória, o seu trabalho, estará sempre connosco, Almudena Grandes", escreveu o chefe do governo, na sua conta do Twitter.

Nascida em Madrid em 1960, Grandes é uma das mais importantes escritoras da literatura espanhola contemporânea. A escritora venceu o Prémio Nacional de Ficção em 2018, e escreveu romances como "Las edades de Lulú" e "Malena es un nombre de tango", entre outras grandes obras, e mulher do poeta Luís García Montero, atual diretor do Instituto Cervantes.

A autora tem três obras publicadas em Portugal: “Os doentes do doutor García”, de 1999, “Castelos de cartão”, de 2007, e “Os ares difíceis”, de 2008.

 

Os comentários estão desactivados.