Sociedade

24 reclusos infetados no Estabelecimento Prisional de Coimbra

Os casos foram identificados depois de dois reclusos apresentarem sintomas da doença, o que levou à testagem de todos os reclusos.


Um surto de covid-19 no estabelecimento prisional de Coimbra conta com 24 reclusos infetados.

De acordo com a Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP), existem, atualmente, "surtos de covid-19 em dois estabelecimentos prisionais". Depois dos 31 casos diagnosticados no Estabelecimento Prisional de Alcoentre, esta segunda-feira à noite foi detetado um novo surto em Coimbra.

Os 24 reclusos que testaram positivo à covid-19 no Estabelecimento Prisional de Coimbra estão “isolados em espaços celulares”, previstos no plano de contingência, e sob “acompanhamento clínico permanente”.

A DGRSP sublinha, contudo, que há menos de 100 casos confirmados num universo de cerca de 20 mil trabalhadores, reclusos e jovens internados em Centros Educativos.

De acordo com a agência Lusa, que cita fonte do gabinete de comunicação da DGRSP, no total, entre os 11.455 reclusos, 68 estão infetados – contabilizando os reclusos com teste positivo em Coimbra, Alcoentre e outros 13 de outras prisões. Entre os trabalhadores, há 21 casos ativos.

“Os reclusos, a quem são diariamente entregues máscaras, mantêm, naturalmente, o direito legalmente consagrado a recreio a céu aberto e a telefonar. Aos reclusos positivos, genericamente assintomáticos ou com sintomas leves, é assegurada vigilância clínica 24 horas por dia”, indica a DGRSP.

A taxa de cobertura vacinal é de 87,96% entre os trabalhadores, de 92,42% entre os reclusos e de 88.42% entre os jovens internados em Centros Educativos.

Os comentários estão desactivados.