Economia

Turismo. Dormidas no Alentejo e Madeira superam níveis de outubro de 2019

No total, dormidas de não residentes em outubro triplicaram face ao mesmo mês de 2020.


O setor do alojamento turístico registou 2,1 milhões de hóspedes e 5,5 milhões de dormidas em outubro deste ano, o que correspondem a crescimentos de 115,5% e 139%, respetivamente. Os dados foram divulgados esta terça-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) que revela que “os níveis atingidos em outubro de 2021 foram, no entanto, inferiores aos observados em outubro de 2019, tendo diminuído o número de hóspedes e de dormidas, -14,6% e -13,5%, respetivamente”.

Os números mostram que foram registados aumentos em todas as regiões. Mas, comparando com outubro de 2019 – antes da pandemia – os únicos crescimentos foram registados pelo Alentejo (+14,9%) e pela Região Autónoma da Madeira (+3,9%). Todas as outras regiões apresentaram decréscimos.

Ainda no que diz respeito ao mês em análise, o mercado interno continua a ser a maior ajuda, tendo contribuído com dois milhões de dormidas, o que representa um crescimento de 65,4%, “continuando a superar os níveis do período homólogo de 2019 (+28,2%)”.

E até as dormidas de não residentes mostraram bons números: totalizaram 3,5 milhões, o valor mais elevado desde outubro de 2019, tendo triplicado face a outubro de 2020 (+216,6%). Ainda assim, continuam a não superar os valores de 2019, e mostram uma quebra de 26,7% face a outubro desse ano.

Neste mês, 24,2% dos estabelecimentos de alojamento turístico estiveram encerrados ou não registaram movimento de hóspedes (20,5% em setembro).

Diz ainda o gabinete de estatística que as dormidas registadas nos primeiros dez meses de 2021 aumentaram 31% (+31,9% nos residentes e +30,0% nos não residentes). Comparando com o mesmo período de 2019, as dormidas diminuíram 49,9% (-11,0% nos residentes e -66,3% nos não residentes).

Os comentários estão desactivados.