Economia

APRITEL. "Tarifa social de Internet reflete compromisso dos operadores para a inclusão digital"

Para a Associação dos Operadores de Comunicações Eletrónicas, o arranque da tarifa social de Internet garante "um acesso adequado à Internet de banda larga a todos os cidadãos, independentemente da sua condição económica".


A APRITEL considerou esta terça-feira que a aplicação da tarifa social de fornecimento de serviços de Internet, regulamentada na segunda-feira em Diário da República, "é um passo relevante para o processo de transição digital de Portugal".
 
Em comunicado, a Associação dos Operadores de Comunicações Eletrónicas destaca que o arranque da tarifa social de Internet, a partir de janeiro de 2022, "espelha o esforço dos operadores de comunicações eletrónicas no reforço da coesão social e o seu compromisso com a inclusão digital, garantindo um acesso adequado à Internet de banda larga a todos os cidadãos, independentemente da sua condição económica".
 
E acrescenta: "Este é um contributo sólido dos operadores para acelerar o processo de transição digital, trazendo benefícios para toda a economia e para a sociedade no seu conjunto", tendo em conta um contexto em que, "mais do que nunca, as famílias, as empresas e as mais diversas instituições necessitam de ter mais e melhor acesso a serviços de comunicações digitais para a sua vida profissional e pessoal".

A tarifa social de Internet, destinada a consumidores com baixos rendimentos, entra em vigor em janeiro e terá um valor de 6,15 euros (IVA incluído).

Os comentários estão desactivados.