Sociedade

GNR encontra idoso que estava desaparecido e que se despistou com veículo na Covilhã

O homem de 80 anos foi encontrado em estado debilitado. 


Um idoso de 80 anos que tinha sido dado como desaparecido, na localidade de Cortes do Meio, na Covilhã, foi encontrado, esta segunda-feira, pela Guarda Nacional Republicana (GNR), debilitado depois de ter sofrido um despiste com o seu veículo. 

De acordo com um comunicado da força de segurança, um familiar comunicou o desaparecimento do idoso por volta das 19h, pelo que a GNR apurou que o homem "tinha sido visto pela última vez, cerca das 13h, a circular de quadriciclo em direção a uma zona de pinhal, não tendo regressado a casa, nem contactado a família". 

Através de uma operação de busca e resgate levada a cabo pelos Postos Territoriais de Covilhã, Teixoso e Tortosendo, os militares localizaram um "veículo despistado num caminho florestal, nas proximidades da localidade", levando ao encontro do idoso que estava em "estado debilitado, a aproximadamente 100 metros do local do despiste, numa zona de densa vegetação e de difícil acesso", detalha a GNR. 

A força de segurança acionou assistência médica para o local, que acabou por transportar o idoso para uma unidade hospitalar "para monitorização do seu estado de saúde". 

Esta operação de resgate "contou com o reforço do Posto de Intervenção de Proteção e Socorro da Covilhã da Unidade de Emergência Proteção e Socorro (UEPS) e com o apoio dos Bombeiros da Covilhã", indica o comunicado. 

Na mesma nota, a GNR diz que está "particularmente atenta" ao desaparecimento de idosos, deixando as seguintes recomendações: 

"Os familiares devem procurar conhecer as rotinas dos idosos e ter informação sobre o local para onde estes pretendem ir quando saem de casa, para que, no caso da chegada tardar mais do que o previsto, possam por aí iniciar a sua procura;

Sempre que possível, os idosos devem fazer-se acompanhar de um telemóvel ligado, para que, em caso de necessidade, possam contactar ou serem contactados pelos seus familiares e, em caso de desaparecimento, serem mais facilmente localizados através de localização celular;

Os idosos devem ter sempre na sua posse os contactos dos seus familiares, para que, em caso de desorientação, outras pessoas possam entrar em contacto com os mesmos". 

Os comentários estão desactivados.