Economia

João Salgueiro condecorado por Marcelo

“É das personalidades mais brilhantes e fascinantes que pude conhecer na vida, com uma capacidade de prospetiva que nem sempre é muito portuguesa”, disse Marcelo.


 O antigo ministro de Estado e das Finanças João Salgueiro foi condecorado pelo Presidente da República com a grã-cruz da Ordem do Infante D. Henrique, no encerramento do 5.º Congresso da Sedes.

“É das personalidades mais brilhantes e fascinantes que pude conhecer na vida, com uma capacidade de prospetiva que nem sempre é muito portuguesa”, disse Marcelo.

João Salgueiro, que tem 87 anos, foi fundador e mais tarde presidente da Sedes -- Associação para o Desenvolvimento Económico e Social, constituída em 1970, para a qual Marcelo Rebelo de Sousa entrou pouco depois.

O chefe de Estado considerou que "não há melhor forma de terminar este ano de congresso da Sedes do que agradecer-lhe o que ele tem feito pelo país" entregando-lhe "as insígnias da Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique, que há muito merece, mas que nunca é tarde para entregar".

Antes, o atual presidente da associação, Álvaro Beleza, apontou João Salgueiro como "a alma da Sedes" e como "um exemplo de cidadania, de inteligência e de saber ao serviço dos portugueses" e anunciou que "passará a ser presidente emérito" desta associação, por decisão unânime da direção.

Licenciado em Economia, João Salgueiro foi subsecretário de Estado do Planeamento antes do 25 de Abril de 1974, entre 1969 e 1971, e depois ministro de Estado e das Finanças e do Plano, entre 1981 e 1983.

Foi também deputado eleito pelo PSD, vice-governador do Banco de Portugal, presidente do Banco de Fomento Exterior, administrador da Caixa Geral de Depósitos e vice-presidente do Conselho Económico e Social.

Recordando os primeiros tempos da Sedes, Marcelo Rebelo de Sousa referiu que "João Salgueiro estava omnipresente, como Deus para os crentes", numa altura em que a associação se dedicava a "debater o país no fim da ditadura, quando o problema era apenas saber-se quanto demoraria até à transformação em democracia".

"Foi pioneiro em matéria de ordenamento do território, foi pioneiro em matéria de desenvolvimento regional, na criação das comissões de coordenação regional. Foi pioneiro em matéria de planeamento económico. Foi pioneiro na tentativa de diálogo entre aquilo que era um setor muito radical na ditadura -- lembro-me da conferência que fez na Liga dos Combatentes, a certa altura, no início dos anos 70 -- e a perspetiva da mudança inevitável e da abertura para a democracia", considerou.

De acordo com o Presidente da República, João Salgueiro "foi pioneiro em tantos lances no domínio do sistema económico-financeiro, inclusive do sistema bancário público", e também "na criação de um clima de diálogo e de pluralismo constante".

Os comentários estão desactivados.